Atalhos de Campo


14.5.18

a confrangedora falta de humildade

Em conversa com a minha senhoria chamo a atenção, pela segunda vez, para o estado do terreno que envolve a casa. Se não fosse o esforço diário para manter arranjada a área próxima da minha entrada, haveria matagal até à porta. Peço-lhe que venham cortar a erva, que já está da minha altura, antes que as sementes caiam à terra. Responde de mau modo que, depois da nossa primeira conversa, contactou, via Facebook, com a mãe do rapaz que faz esse serviço, e que, se voltar a pedir, ela a vai considerar uma chata. Digo-lhe que sim, que sou uma chata, mas que me parece importante resolver esta questão. Falo-lhe também da segurança dentro na propriedade, da falta de um portão, da falta de muros. Eu não vou vedar a propriedade, era só o que faltava, tenho vinte e nove como essa e nenhuma está murada. E eu bem passo por elas, ou por iguais a elas: árvores a morrer, muretes caídos, entulho.