Atalhos de Campo


9.9.17

feijoada com todos os poetas

A casa está mergulhada no vento. Acendi velas em vários sítios. Arde ao meu lado uma delas, que resiste há dez anos, sem nenhuma razão especial. Faço contas e reparo que por ser muito grande já conseguiu perfumar as três casas anteriores. Na cozinha, onde adormeceram as cadelas por exaustão, cada uma no seu cobertor colorido, borbulha a fogo lento o esquiço de uma feijoada, que vou aperfeiçoando a cada içar de tampa. Cheira bem, e há paz, e silêncio. Esta semana Tolentino consegue reunir Pessoa, Cecília Meireles, Adélia Prado e ele próprio, num desencontro brilhante.