Atalhos de Campo


27.5.17

no remoinho

Virá a morte e terá os teus olhos -
esta morte que nos acompanha 
desde manhã até à noite, insone,
surda, como um velho remorso
ou um vício absurdo. Os teus olhos
não serão mais que uma palavra vã,
um grito emudecido, um silêncio.
Assim te vi em cada manhã,
quando sobre ti mesma te inclinas
no espelho. Ó amada esperança,
nesse dia saberemos, também nós,
que tu és a vida e és o nada.

Para todos tem a morte um olhar.
Virá a morte e terá os teus olhos.
Será como deixarmos um vício,
como vermos no espelho 
um rosto morto ressurgir,
como escutar uma boca fechada.
Desceremos, mudos, no remoinho.

Cesare Pavese / Virá a morte e terá os teus olhos
Tradução David Mourão-Ferreira

Sem comentários:

Enviar um comentário