Atalhos de Campo


6.5.17

Instinto

Uma mulher espreita a minha neta, enfiando a cabeça no carro de bebé, encantada. Ficamos tensos. O seu rosto é redondo, os olhos esquivos. Percebemos que tem um atraso e tememos que seja imprevisível como um gato, mas não, está apenas cativada pela criança e mete-se com ela, não lhe tocando. Mais tarde sei que se trata de Glória, a mulher errante. Contam-me que foi mãe há trinta e um anos, mas que lhe retiraram o filho à nascença para o entregar a uma instituição, um rapaz perfeitamente normal, hoje já com um curso. Mas Glória, a glorinha, gravou em si o dia em que perdeu a criança recém-nascida, e na sua busca incessante desse dia encontra-a em cada berço, transfigurando-se. Ontem ouvi-a dizer ao meu lado, no mesmo café: 
- Sabes que dia é Domingo? É o dia da mãe.