Atalhos de Campo


27.5.17

garantia

Agora que morreste, o dia do teu aniversário lembra-me que já não vives. Virá o tempo em que haveremos de reciclar o riso em vento e voltar a rir de tudo, espalhando muito pó. Isto supondo que a vida, esse estado transitório e vulgar, só os vivos ameaça, e que a morte existe como negação suprema dessa ameaça - que só a própria morte testemunhará no seu leito secreto. Mas hoje, foi mais uma vez por causa da tua morte, que um dia da tua vida me fez tanta falta. Apesar de saber que só agora estás, finalmente, em segurança.

Sem comentários:

Enviar um comentário