Atalhos de Campo


11.3.17

javardo

A desmancha ocorria com algazarra sobre uma mesa de carpinteiro, colocada à entrada do armazém de revenda. Eu só venho buscar daquele substrato para plantas, disse, voltando a cara, horrorizada. Os homens riam-se, em volta do cadáver. Um deles segurava os membros posteriores, esticando-os, enquanto outro esquartejava e rachava os ossos como se fossem lenha. Ali, a céu aberto, na adrenalina da matança, o coração do porco vertera sangue sobre o pavimento, mas os homens assistiam, eufóricos, à própria autópsia.  

2 comentários:

  1. Era assim quando eu era garota. Nunca me deixavam vê-lo morrer, pobre bicho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Se queres ver o teu corpo, abre o teu porco"... distraídos os homens; seria um belo momento de reflexão. Mas a falta de dignidade na morte é ainda o mais chocante.

      Eliminar