Atalhos de Campo


29.12.16

Mulheres, e as borboletas em frol

Ao ler este ano, Mulheres, de Charles Bukowski, lembrei-me do meu desconforto  quando certa vez abri uma das caixas de sapatos perfuradas onde a minha irmã criava bichos-da-seda. Naquele espaço ínfimo e mal pontilhado de luz, vi dezenas de mariposas entregues ao acasalamento frenético até morrerem esfarrapadas. E eram os mesmos bichos que tinham produzido maviosos casulos em seda.
Seda natural, como se depreende.

Também este ano, numa escrita irrepreensível sem direito a vernáculo,  vi surgir um caçador de borboletas. Incansável. Andava o que fosse preciso até as apanhar. Parecendo gostar do jogo, as incautas abriam as asas trementes de provocação, penteavam as longas antenas à sua frente, como se pusessem rímel usando a glossa, fitavam-no destemidas com olhos de grande angular e submetiam-se à polinização do seu olhar ampliado. Mas o caçador de borboletas nada queria saber das suas belas asas, ou sequer das suas vidas. Quando menos esperavam tinham uma alfinetada certeira nas costas, sempre do lado direito, e uma etiqueta para a posteridade.

Ao ler o segundo, lembrei-me do primeiro. Recomendo ambos. A borboletas.

10 comentários:

  1. lerei o bukowski, já o segundo...:)
    tem uma noite boa, Teresa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. é interessante a dis(semelhança)...

      boa noite também para ti, ana.

      Eliminar
  2. O poema de cima é um dos meus preferidos.
    Um excelente 2017, Teresa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tão assustadoramente belo. Que a tua vida seja sempre a tua vida, Cuca.

      Eliminar
  3. como eu gosto do poema de cima... eu é que te agradeço.
    obrigada Teresa, e um bom ano.

    ResponderEliminar
  4. Querida Teresa, venho deixar um abraço muito dos horrorosos com desejos de um muito bom 2017.
    :-)

    (o livro de cima comecei a ler há milénios mas acho que não o acabei, e o outro não sei qual é, glup, por isso fico-me pelo abraço, está bem?)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Susana, estou tão horrorizada por ter um desses também para ti... Já somos veteranas em abraços horrorosos e o que te posso dizer é que 2017 trará muitos mais. :)

      O livro de cima esteve por ler durante milénios, mas, compreendo-te, o sexo é muito repetitivo, basta ler as primeiras vinte páginas. Só o fim é verdadeiramente bonito.

      E que o ano de 2017 te mereça. Glup.

      Eliminar