Atalhos de Campo


4.10.16

frésias póstumas

Plantarei frésias em segredo e a terra aparecerá sublinhada a amarelo, para que ignores os dias que foram felizes; bordarei canteiros a ponto pé de frésia e neles secarão só as flores roxas, para que nelas reconheças a tua impenitência; vasos de frésias vermelhas resplandecerão à luz branca das manhãs de Inverno, para que sintas o frio da tua intimidade; crescerá uma frésia da mesma cor de cada pé de roseira, para que recuses definitivamente o meu perfume; quando chover, só as frésias guardarão a chuva nos seus cálices de murano, para que condenes para sempre as minhas lágrimas.        

6 comentários:

  1. que bonito, Teresa...eu seria capaz de fazer isso, em segredo, também :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. um castigo florido e perfumado a despontar por todo o lado, um verdadeiro pesadelo... :)

      uma boa noite para ti, ana.

      Eliminar
  2. transformar as dores em flores, é magia :)

    ResponderEliminar