Atalhos de Campo


19.10.16

a minha cadela, essa dissimulada

Descobri que a minha cadela, o único ser em que eu confiava, que sempre me acompanhou para todo o lado, que tem vários comportamentos extraordinários, que sabe muitas palavras e expressões (bastante mais de vinte), que, de há uns tempos para cá, insiste em emitir sons guturais, mais ou menos prolongados e entoados, como se estivesse a falar comigo, afinal usa toda essa panóplia de capacidades para me mentir descaradamente. Por exemplo, vem dizer que já comeu tudo, para ter um prémio. Só que por vezes não comeu tudo, e eu, desconfiada, dirijo-me à taça da comida com ela, para verificar; perante a minha interjeição de desapontamento, ela finge, recomeçando a comer, ou pura e simplesmente deixa-se ficar a olhar para mim, com expressão de quem foi apanhada. As guloseimas, que dantes eram biscoitos próprios para o efeito, foram agora substituídas na perfeição por pequenas côdeas de pão, que ela reconhece como sendo um ossinho. Ela sabe que primeiro tem que se sentar para receber o prémio e é o que faz sempre, perante o meu gesto silencioso, com o indicador apontado para o chão. Mas a sua mentira é ainda mais elaborada. Aceitando o pão, ela muitas vezes não o come logo, e vai escondê-lo. Durante o meu jantar tem o hábito de vir pedir mais um ossinho. Eu pergunto-lhe onde está o ossinho que lhe dei; ela disfarça, como se não soubesse, insistindo em pedir outro. Mas quando, já no final do jantar, percebe que não vai ter nenhum, dirige-se sorrateiramente ao local onde o escondeu e vem comê-lo para perto, resignada.  

Konrad Lorenz, em *E o Homem Encontrou o Cão*, dedica um pequeno capítulo aos animais que mentem, dando exemplos dos seus próprios cães, e de chimpanzés. Também refere que os animais capazes de mentir são mais inteligentes do que os outros, talvez por este comportamento ser também, tipicamente, o dos homens mais inteligentes.   

6 comentários:

  1. :)) parece-me que essa cadela sabe viver e está em constante aprendizagem. Se facilitas... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se sabe, GM. Tem-me dado algum trabalho, mas aprende tudo, até o que eu não lhe ensino. :))

      Eliminar
  2. Isto é maravilhoso, Teresa, é todo um mundo novo para mim. Eu adoro animais, e vê-los relatados desta maneira, com raciocínios lógicos, com artimanhas, truques e subterfúgios, faz-me pensar que não podemos subestimar a inteligência dos animais.
    Gostei tanto deste post, com um humor tão fino, que o li à minha filha mais velha e rimos juntas. Obrigada :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os animais são um mundo ainda tão desconhecido e com tanto para nos ensinar... Estou cada dia mais cativada pelo seu comportamento e pela interacção com eles; é uma descoberta contínua e maravilhosa.

      Fiquei deliciada por terem partilhado as duas as "aldrabices" da minha Tangerina.
      Obrigada, Blue. :)

      Eliminar
  3. Respostas
    1. o dos vencedores, e, também, o dos piedosos; toda uma arquitectura de catedral. :)

      Obrigada, Manel.

      Eliminar