Atalhos de Campo


14.8.16

quando os pintarroxos fizerem ninho



Ofereço-te esta frágil flor esta pedra de chuva
para que sintas a verde frescura
de um pomar de brancas cortesias

António Ramos Rosa/ O Teu Rosto

4 comentários:

  1. Como gosto desta ária! Como gosto de Ramos Rosa!

    Boa noite, Teresa, e um beijo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A poesia dele é subtil como a flor de cerejeira ou como a esperança cantada nesta ária sublime.
      Gosto como tu, tanto, de ambas!

      Um beijo, Maria, e bom feriado. :)

      Eliminar
  2. Obrigada Teresa. Um presente maravilhoso :)

    ResponderEliminar