Atalhos de Campo


2.8.16

melancia



Anna Serguéevna e ele amavam-se como pessoas muito 
chegadas, íntimas, como marido e mulher, como ternos 
amigos; parecia que o destino os fizera um para o outro
e era incompreensível que ambos estivessem casados com
pessoas alheias a eles; como se fossem aves migratórias,
macho e fêmea, apanhadas e obrigadas a viverem em gaiolas 
diferentes. 

Tchékhov/ A Senhora do Cãozinho


(...)Em «A Senhora do Cãozinho», um homem e uma mulher
dormem juntos. Depois do acto sexual, o homem come 
calmamente uma melancia: «Havia uma melancia em cima
da mesa no quarto de hotel. Gurov cortou uma fatia e
começou a comê-la sem pressas. Pelo menos meia hora
passou em silêncio.» É tudo o que Tchékhov escreve.

James Wood / A mecânica da ficção

4 comentários:

  1. Momento perfeito. Melancia comida em silêncio durante meia hora...:)
    Eu e a melancia somos um caso sério...
    Bom dia Teresa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma boa fruta para comer devagar, Agosto dentro...

      Tem um bom a-gosto, ana. :)

      Eliminar
  2. Acho que vou começar a apreciar a melancia de outra forma.
    Bom dia, Teresa. Boa semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah! Remoendo maçãs, Mia?
      Também eu. :)
      Boa semana, com melancia.

      Eliminar