Atalhos de Campo


26.8.16

falsa dócil

Um dia tranquilo, era, para Lenz, um dia de saúde da natureza e, nesse sentido, dia em que esta acumulava forças que mais cedo ou mais tarde atiraria contra os humanos. Lenz não confiava na natureza.


Ele receava da mesma maneira um terramoto e um dia de sol em que pássaros desconhecidos pareciam iniciar uma amizade eterna com casais de apaixonados que não conhecem. Nesses dias calmos, Lenz via uma saúde falsa, uma preparação da maldade - alguém, com cuidado, limpava o cadafalso na véspera de a vítima o pisar. 

Por vezes Lenz chegava mesmo a formular a questão, dirigindo-se mentalmente para o jardim tranquilo: em que estará ele a pensar?

Gonçalo M. Tavares/ Aprender a rezar na Era da Técnica 

Sem comentários:

Enviar um comentário