Atalhos de Campo


22.5.16

sem destino

Coloco o capacete, ajusto bem a presilha ao pescoço e subo para a mota. Em pouco tempo entramos na estrada. Gosto de sentir a velocidade. Fecho os olhos. Apetece-me partir para uma longa viagem. É na velocidade que os nossos corpos melhor se emparelham e se encaixam. São estes os momentos em que te entrego o meu destino.  

14 comentários:

  1. Eu acho que, mais do que confiança na outra pessoa, é confiança na tua escolha :)

    Um beijinho, querida Motard :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu desconfio muito de mim :)

      Apeteceu-me tanto só regressar daqui a um mês... deixar que a paisagem passar a uma velocidade estonteante e adormecer noutro país, debaixo doutro céu, inspirar outro perfume.

      Um beijinho, querida peregrina :)

      Eliminar
  2. Tão boa essa sensação de partir, sem destino... Embora eu não aprecie a velocidade. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ponderamos demais, às vezes faz falta simplesmente, ir... :)

      Eliminar
  3. A brisa na cara, os corpos juntos, o partir sem destino, quase de olhos fechados. Tão bom :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem medos nem medo, curvar, acelerar, ultrapassar, comunicar por gestos, o mesmo corpo, e a estrada. :)

      Eliminar
  4. Que maravilhosa sensação de liberdade. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A velocidade a varrer o ar é demasiado bom, nem o pensamento acompanha. :)

      Eliminar
  5. Respostas
    1. foi, Laura, curta mas veloz, muito bonita nas margens e nos horizontes.

      Eliminar
  6. Quando se está fora, há uma adrenalina como uma seiva que nos empolga...É bom sentir isso. É estimulante.:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É repensar as distâncias no tempo e ir ganhando o mundo. :)

      Eliminar