Atalhos de Campo


17.5.16

cuco

Ando a vigiar as performances do cuco. Confesso que embirro um bocado com cucos por causa do hábito de irem pôr os ovos aos ninhos dos rouxinóis, de darem um trabalhão aos pobres pais adoptivos matando as suas crias para ficarem sozinhos e poderem vingar. Por cada cuco que ouço a cantar sei que são dois ou três rouxinóis a menos no caniçal. Estranho este parasita em forma de pássaro, a fazer-me lembrar alguns humanos... Porque não fará ninho? Que incapacidade genética terá para chocar os ovos e cuidar dos recém-nascidos? Porque escolherá pais adoptivos muito mais pequenos do que ele, aves também migratórias, que por sua causa não conseguem procriar? Como conseguirá regressar exactamente aos mesmos locais onde teve êxito, ou onde nasceu, para repetir tudo, anualmente? Porque será que os primeiros relógios de cuco, surgidos na Alemanha, oriundos da Floresta Negra, não contemplaram outros pássaros e tornaram este tão famoso? Nem as horas canta a horas, pensei ontem, mas hoje eram onze horas em ponto quando o ouvi. Coincidência ou não, fiquei alerta. E se fosse outro o canto, se em vez de o canto monocórdico do cuco, a testemunhar a passagem do tempo, surgisse, a certas horas inesperadas, um canto de júbilo, ou melodioso, ou épico, ou simplesmente um pio, um lamento...

10 comentários:

  1. Respostas
    1. "The Robin's my Criterion for Tune -
      Because I grow - where Robins do -
      But, were I Cuckoo born -
      I'd swear by him-
      (...)"

      Emily Dickinson

      Eliminar
  2. Tenho um relógio de cuco antigo, na minha sala. Era da avó do meu companheiro.
    Não canta porque precisa de arranjo.
    Ainda não descobri se lhe acho graça. Acho o mesmo, em relação aos cucos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adoro relógios de parede, acho que são o coração das casas. E acho esses particularmente encantadores.
      Quanto aos "cucos", não lhes acho mesmo graça nenhuma. :)

      Eliminar
  3. Se os cucos soubessem mesmo as horas e cantassem quando é preciso, não me importava de adotar um :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não te vais arrepender, GM, é um cuco alentejano, toca para intervalo! :)))

      Eliminar
  4. Respostas
    1. Percebo perfeitamente, um verdadeiro pirata só faz o que consegue.
      Trazer um pirata da maternidade para casa é que é tarefa difícil. :)

      Eliminar