Atalhos de Campo


20.5.16

as rosas da Bulgária


























Ela disse-me que aquelas eram rosas muito antigas, eram as rosas que 
havia nas quintas, há já muito tempo. Notei-lhe um certo tom depreciativo. 
Achei que para ela eram rosas que já não se usavam, rosas fora de moda. 

12 comentários:

  1. são belas. enchem os meus olhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. e tão perfumadas que enchem os pulmões de devaneios :)

      Eliminar
  2. Respostas
    1. só alguns conseguem... e também te enchem os "para lá de muitos olhos", Conde?

      Eliminar
  3. Não percebe nada de rosas, ela. Até servem para adornar pés! :D

    São lindas, Teresa! Beijos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não percebe, claro, e ainda não viu nada. Vou insistir para que faça um workshop gratuito. :)

      Aos teus pés, Maria.

      Eliminar
  4. (...)
    "Rosa
    De orvalho e sangue para o corpo trespassado de sede."
    (...)

    A rosas são de uma linhagem antiga e isso, torna-as ainda mais belas. Nas suas raízes, trazem muitos tempos e muitos lugares.

    Um beijinho, querida Teresa :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu gosto do que é antigo. Não entendo a avidez pela novidade. Podem bem florir no mesmo canteiro.
      Estas rosas têm um perfume maravilhoso, e é delas que se retiram as essências e os óleos para a cosmética. Aqui ninguém as "espreme", apenas perfumam o ar.

      Seja bem aparecida, Miss Rosa Chá! Já tinha saudades do seu perfume pelos atalhos.
      Um beijinho :)

      Eliminar
  5. São mesmo lindas. Foi um tipo de rosa muito retratado no séc. XVII e XVIII. Tão plásticas e apelativas. Desencaminham! As que tenho cá, são de outra espécie. Está na altura do desfile e eu roubo-lhes a fragância. Inspiro uma, duas vezes, depois perdem o cheiro. Tenho que esperar. É muito especial. Às vezes ofereço-lhes um altar, numa jarra. Mas concordo, não é fácil, sobretudo quando o clima é de extremos, como é o caso. Já com as roseiras arbustivas, torna-se mais viável a sua sobrevivência.
    Sim, há plantas e jardins da moda, mas o importante é que os jardins, tal como as casas, respeitem o chamado espírito do lugar, levando a uma adaptação e integração perfeitas.

    Que essas rosas nunca deixem de te visitar!:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As roseiras dão-se aqui muito bem, talvez por terem também o lado selvagem e espinhoso dos silvados, florindo à superfície...
      Boa ideia essa, a de roubar o perfume às rosas. Será que é verdade, que se vier alguém atrás de nós já não tem perfume, será que nós é que o passamos a transportar no sangue, junto ao oxigénio, um bocadinho em cada célula?

      Que te confundam sempre com uma rosa :)

      Eliminar
  6. Respostas
    1. Sem dúvida que é essa a grande vantagem, cada rosa tem o triplo das pétalas, muito conveniente para a cosmética. A primeira vez que as vi foi aqui na quinta, não conhecia, mas gosto bastante desta variedade. :)

      Eliminar