Atalhos de Campo


7.4.16

mujeres al borde de un ataque de nervios (8)

é mais difícil admitir a perda de um amigo do que a perda 
de um namorado, o que pode até ser motivo de júbilo 
(e de alguma esperança), já que um mau namorado, poderá 
sempre vir a tornar-se num bom amigo.

6 comentários:

  1. Não se enerve querida Teresa: discordo de tudo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não; resta saber as outras...
      Perder um amigo é irreversível, parece-me uma boa conclusão, sem género.
      Tenha um dia feliz, querido Outro Ente.
      Já lhe disse que gosto de si em Abril?

      Eliminar
  2. Também gosto de si. Em Abril, a bordo de um navio sob ataque, em qualquer parte. Não sei se perder um amigo é irreversível. Sei que perder uma namorada é um corte definitivo, que impede a existência para além do passado. Uma má namorada nunca deu uma boa amiga. Uma boa namorada também não.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parece-me a perda de um amigo um corte definitivo; e é aqui que somos muito diferentes: fiquei amiga de quase todos os meus ex-namorados(que não foram muitos), talvez porque havia uma amizade que resistiu apesar de tudo ao fracasso do namoro. O tempo curou as desilusões, as zangas, os enganos. Eram pessoas decentes, ficou amizade, sem confusões nem ambiguidades(coisa detestável).

      Eliminar
  3. Eu até concordo, até porque o envolvimento de ambas as relações é diferente. Mas tanto uma como outra só poderão ter apaziguamento com o passar do tempo, que sempre foi bom conselheiro, devolvendo a lucidez e um maior discernimento em relação às situações. Com a idade e a vivência, aprende-se a relativizar muito mais, agilizando as tensões, privilegiando com inteligência, o entendimento, a harmonia e o bem-estar. Eu sou um jardineiro. Estou sempre a arranjar, a cuidar, não deixo ir além. Não vale apena. Nós todos, somos muito mais do que isso! Mas esse sentir tem que vir de dentro. Não se fabrica.

    Tem uma boa-noite:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com o tempo tudo se encaixa no lugar certo. Há relações que não sobrevivem à paixão, outras são duradouras mas desgastam-se. Há sempre um que ama mais do que o outro, que é mais generoso, que se anula mais. Fica muita mágoa se é passado para trás, mas não pode nem deve cobrar isso, se deu, deu.

      Olha lá Madalena, não podes demais (I'm joking) :)
      A amizade é muito mais estável; fazem-se poucos mas bons amigos que podem durar a vida inteira.
      Fazer um amigo leva tempo, mas arranjar um namorado/a por ser rápido e acabar com a mesma rapidez...

      Boa noite, Madalena, gosto dessa tua faceta de cuidar que vem de dentro. :)

      Eliminar