Atalhos de Campo


17.4.16

lição (sem número):

e que nunca te passe pela cabeça que o presente (sobre)vive sem o passado.

8 comentários:

  1. Respostas
    1. Por vezes são estas, as de La Palice, que nos passam ao lado.

      Eliminar
  2. lição (também sem número)
    e que nunca te passe pela cabeça viver presente no passado.
    beijo, Teresa, grata pela tua companhia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. venho só jardinar...

      Beijo, ana; a tua é uma boa lição.

      Eliminar
  3. “Estás sentado sobre essa pedra e julgas-te ainda aí, mas o teu ser, voltado para o futuro, não adere mais ao que foi a tua vida, e a tua ausência já começou. É certo que compreendo que tudo isto é ilusão, como o resto, e que o futuro não existe. Os homens que inventaram o tempo, inventaram por contraste a eternidade, mas a negação do tempo é tão vã como ele próprio. Não há nem passado nem futuro mas apenas uma série de presentes sucessivos, um caminho perpetuamente destruído e continuado onde todos vamos avançando.”

    Marguerite Yourcenar, O tempo esse grande escultor

    O tempo é uma construção diária.

    Um beijinho, Teresa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sinto bem a pedra do passado; sento-me nela a contemplar...
      Futurologia não faço, tenho uma enorme dificuldade, ou não me interessa minimamente.

      [Se calhar já tenho maturidade para ler Yourcenar :). Tenho que tentar outra vez.]
      Um beijinho, Miss Smile.

      Eliminar
  4. Sim, é uma inevitabilidade. Mas, não podemos viver o presente, no passado. O passado é um eterno presente, esculpido pelo tempo, que nos trespassa, transformando e reinterpretando. Contudo, o presente é sempre mais importante, o sempre renovado aqui e agora, onde nos vamos perfilando, no conhecimento do que nos rodeia e sobretudo a nível do conhecimento sobre nós mesmos. "Conhece-te a ti mesmo".

    Básicamente, já tudo tinha sido dito, e muito bem dito.
    Beijinhos:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ando a arrumar gavetas; tenho passado muito tempo deste presente a fazê-lo.
      Por um lado é bom, por outro não. Mas é no passado que encontro sustentabilidade, neste momento.

      Beijinhos :)

      Eliminar