Atalhos de Campo


19.4.16

auto-retrato












































































































































































































































15 comentários:

  1. ora, portanto, falamos de selfies? :b

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sou colorida, não sou? Reparei agora que a menina flor também está ali a espreitar... :)

      Eliminar
  2. :b (linguinha de fora)

    «Passa uma borboleta por diante de mim
    E pela primeira vez no Universo eu reparo
    Que as borboletas não têm cor nem movimento,
    Assim como as flores não têm perfume nem cor.
    A cor é que tem cor nas asas da borboleta,
    No movimento da borboleta o movimento é que se move,
    O perfume é que tem perfume no perfume da flor.
    A borboleta é apenas borboleta
    E a flor é apenas flor.»

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ter-me-ia casado com ele, com "o pastor amoroso"...
      Adoro Aberto Caeiro.

      Eliminar
  3. :)

    (ele acobardou-se e nunca chegou a pedir-lhe a mão? sacana...)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu confesso que também tive medo; temo os olhos azuis. :)
      Por isso fiquei-me pelo amor platónico, até hoje, e ele passei-se e passa por mim, distraído com a metafísica, mas sem meta física. :))

      Eliminar
  4. desconhecia-lhe o mar nos olhos, ao pastor. julgava-lhos cor de lameiro em abril :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. louro, com o céu nos olhos e o lameiro nas botas, a alma limpa, o resto não me interessa, mas parece que não era uma estampa:)
      Quando eu estiver mesmo, mesmo, murchinha de todo, invento para mim uma mulher fatal, uma heterónima, cuidem-se :)

      Eliminar
  5. Gosto da tua cor. Transmite beleza e tranquilidade :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também gosto da suavidade do rosa. É uma cor muito abundante nestas florzinhas do campo, delicadas e muito femininas.
      Obrigada, GM.
      Um beijinho e sonhos cor-de-rosa. :)

      Eliminar
  6. Inconstância

    Passei a vida a amar e a esquecer...
    Atrás do sol dum dia outro a aquecer
    As brumas dos atalhos por onde ando...
    (...)
    Florbela Espanca

    Um auto-retrato completo. É quase o jogo do quem é quem. Maturidade, o berço e a infância, medicina, sensibilidade, sensualidade e volúpia, pureza, censores e sensores, nostalgia, tons de vida lima(da).

    Estas flores são muito resistentes no solo, porém quando se colhem, murcham fácilmente, quais papoilas. Vejo-as assim, teimosas, com uma personalidade forte e independente, muito ciosas da sua liberdade tão particular.

    Cardo-de-Santa-Maria fúchsia, espontâneos e lindos.
    Beijinhos:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dissecaste-me... muito bom. Ficas para legenda. Não é toda a gente que sabe ver uma fotografia. Ficou a "colagem" de uma vida.

      O fúchsia dos cardos afina o canto dos pintassilgos :)
      Beijinhos

      Eliminar