Atalhos de Campo


17.3.16

Paraíso, diz ela












































                





















































24 comentários:

  1. Ela tem razão no que diz.
    Bom dia querida Teresa Borges do Canto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Juro que a terra estará certamente completa para aquele ou aquela que estiver completo,
      A terra continua desigual e em desordem apenas para aquele ou aquela que continuam desiguais e em desordem."

      Walt Whitman

      Ele também tem.
      Bom dia, querido Outro Ente.

      Eliminar
  2. ela tem razão... (glicínias... gosto tanto da cor, do perfume)

    beijo, Teresa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "hoje à noite
      até as estrelas
      cheiram a flor de laranjeira"

      beijo, ana
      em breve serão cachos de perfume e cor

      Eliminar
    2. Eu sei. Houve um tempo em que eu esperava por esta cor perfumada.
      Boa noite :)

      Eliminar
    3. Boa noite, ana, ainda em botão. :)
      Quem sabe, volta...

      Eliminar
  3. paraíso, vemos nós, deste lado.

    um abraço, querida Teresa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "o barro
      toma a forma
      que você quiser

      você nem sabe
      estar fazendo apenas
      o que o barro quer"

      Paulo Leminski

      um abraço, minha flor.

      Eliminar
  4. É, essencialmente, por isto que a Teresa é a minha blogger favorita.
    Sempre que reproduz o paraíso, fá-lo com todo o cuidado, minúcia, exactidão e escrúpulo.

    Eu estou grato.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "isso sim me assombra e deslumbra
      como é que o som penetra na sombra
      e a pena sai da penumbra?"

      Paulo Leminski

      (sobretudo, o paraíso, não deve enganar ninguém).

      Obrigada, Impontual.

      Eliminar
  5. Respostas
    1. Foi o paraíso de hoje, à hora do almoço.
      Mas varia; tivemos sorte.:)

      Eliminar
  6. Penso ter vislumbrado rosmaninho. Será? Aqui, são as lavandas que se dão melhor. Mas onde eu queria chegar era ao Pavão1. E está agora a olhar para mim, mostrando um tigrado ondulante, nunca antes revelado. Quando é assim, quanto mais se olha, mais apetece olhar, e olhar, olhar...É demais.

    Concordo com Walt Whitman. Criemos o nosso próprio mundo e deixemo-nos de queixumes.

    Beauty!:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São botões de glicínia. O rosmaninho dá-se tão bem como as alfazemas, mas ainda não começou a floração.
      Quanto ao teu P1, estava posando como sempre, ao centro da fotografia, a exibir as suas belas penas de Primavera.

      Equilibremo-nos! :)

      Eliminar
  7. E que Paraíso. Ela tem razão, lindíssimo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, nina, por nos acompanhar neste passeio ao paraíso :)

      Eliminar
  8. Olhinhos da Teresa, digo eu :)

    A transparência do teu olhar, é o paraíso dos teus leitores.

    Um beijinho, querida Miss Fletcher :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Para que serve a pintura
      a não ser quando apresenta
      precisamente a procura
      daquilo que mais aparenta,
      quando ministra quarenta
      enigmas vezes setenta?"

      Paulo Leminski

      São os teus olhos de bondade, Sister Wendy :)

      Eliminar
  9. Apetece, esse paraíso!

    Beijos, Teresa, debaixo de chuva :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É a vantagem de fabricarmos o paraíso, continua a fazer sol mesmo quando chove. :)
      Beijos, Maria do Sol.

      Eliminar
  10. A primeira fotografia é tão bela, as alternâncias de luz tão bem apanhadas, que até me confunde o cérebro, parece que tem espelhos... brutal.
    E a da papoila... está linda, Teresa! (mas amachucou a saia, a Smilenska ainda não viu isso, onde é que ela se meteu?!...)
    :-)
    Bom fim de semana, Teresa, e obrigada por este pedaço de paraíso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Susana, vindo da tua Voz das Cores, fico assim, como que pálida. Sabes que me lembro quase todos os dias das tuas fotografias? Essa é bem uma conversa só das duas, uma conversa com os olhos...Olha, a papoila surpreendeu-me porque ainda no Domingo não havia nenhuma, e ali estava ela tão bela e única, tão primeira. Quando vejo papoilas e andorinhas vejo também a Primavera, sabes? E a saia amarrotada é assim mesmo, o Manuel Hilário já pediu para a oferecer à sua Vénus de Göttingen, a sua Musa, a Smilenska. Coitado, continua a tentar, mas é um bocado desajeitado, convenhamos. :)

      Bom fim-de-semana, ainda bem que ajudaste, nisto do "pedaço de paraíso".

      Eliminar