Atalhos de Campo


15.3.16

oil on canvas . unknown author

Landscape on fire . 14/3/2016 

18 comentários:

  1. deixo-lhe um abraço.
    apeteceu-me (muito).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. já passa da meia-noite; já se desfez o enguiço (da raiva)...espero.

      gostei muito, querida flor, é como no tango, são precisos dois, neste caso duas, para dar um abraço. grande.

      Eliminar
  2. Ó meninas, desculpem lá interromper aí o abracinho "horroroso", sim?
    Eu vinha só truz-truz com licença, informar que eu cá sei muito bem quem é o autor desse óleo nas canvas.
    E em querendo, depois aí do abracinho estar pronto, se houver vagar, eu vai que 'inda digo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha um abraço a três, bora!

      Quanto às canvas, aceitam-se sugestões, menina :)

      Eliminar
  3. eu reconheço as pinceladas :)

    Beijo às meninas ...

    ResponderEliminar
  4. Landscape on urucum. Belo resgate!

    Esse triássico, é alma da noite!

    Um beijinho e um bom resto de atalhos ao sol.
    Madalena

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As vantagens do urucum já vêm do triássico!

      Beijinho, Madalena.
      Obrigada.Para ti também.

      Eliminar
  5. "Nas mãos do oleiro
    o universo descobre-se
    inacabado"

    José Tolentino Mendonça / A Papoila e o Monge



    Todos os que por aqui passam e contemplam esta maravilha tornam-se co-autores.

    Um beijinho, querida Teresa :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Reconheceste que a paisagem ganhou essência e forma para que pudesse ser pintada num quadro?
      (...)

      Consideramos divinas as bíblias e as religiões- não digo que não sejam divinas,
      Digo que todas elas resultam de ti e podem ainda resultar de ti,
      Não são elas que dão a vida, és tu que dás a vida,
      As folhas não se desprendem mais das árvores, ou as árvores da terra, do que se desprendem de ti."

      Walt Whitman

      Obrigada, querida co-autora, ainda chegaste a tempo do abraço.
      Um beijinho :)

      Eliminar
  6. eu sei, Teresa, inconfundíveis... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. cada dia diferentes, na tela gigante que é o fim do dia.

      Eliminar
  7. De facto, nós somos a banda sonora dos teus filmes. Espero que gostes da melodia. Filme mudo é que não é!

    Tem um resto de dia em modo melódico:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Madalena, sabes, já tenho saudades de ouvir a tua voz.
      Lembro-me bem dela, e do teu riso também.

      Aqui fica o teu registo para ajudar a colorir este magnífico óleo sobre tela, pintado a várias vozes :)

      Eliminar

  8. Eu também me recordo perfeitamente das características da tua voz, tanto, que a reconheci de imediato num post nocturno do blog, há já algum tempo. Só podia ser a Teresa, pensei.

    Lembro-me de uma particularidade antiga, a de carregares nos rrs em algumas palavras, tal como eu. Agora é mais raro, mas comigo ainda acontece.

    Obrigada:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. a voz arrasta-se como uma vassoura de letras, às vezes...

      Beijinho

      Eliminar
  9. Mas fica-te bem. É natural e tem charme, tu sabes.

    So, don't touch on it!:)

    ResponderEliminar