Atalhos de Campo


19.3.16

notícias da quinta (12)

Reparei no céu: várias cegonhas voavam em círculo sobre os eucaliptos ao meio-dia. Quedei-me por ali, num encantamento, a observá-las. A plenitude do voo sobre a minha cabeça continuou durante todo o dia, mesmo quando já tinham partido. Terão elas a percepção da proximidade dos nascimentos, pensei na altura, ao observar aquela espécie de exultação no ar. Mas de noite fiquei com a certeza. Falávamos ao jantar sobre o avizinhar do parto de uma das vacas, a Flor, e subitamente ouvimos um urro que nos fez levantar de supetão; depois de uma breve pausa à escuta, outro, e outro quando já corríamos porta fora em direcção à cerca onde estava. A lua, em quarto crescente adiantado, atravessava o céu marmoreado por nuvens espessas. E sob aquela luz da noite, realçada pela sombra de uma oliveira, estava a vaca acabada de parir, a chamar pelo bezerro. Ao voltarmos para casa as onze badaladas tinham, passo a passo, acabado de fixar o tempo.

































































































Para a Susana Rodrigues.

12 comentários:

  1. Querida Teresa, como é possível??!! Um presente maravilhoso para mim e eu (porque hoje estou mais a trabalhar que nem uma louca do que outra coisa) só vim aqui ao teu blogue numa visita incompleta, porque vi aquela flor a chorar e eu sei por que chora ela e precisava de te deixar um abraço por isso e depois regressei ao trabalho e não vi o Muzinhus Castanhus Lindus!!!! E a tua oferta!!
    Posso ser a madrinha? Ainda consigo pegar-lhe ao colo, de certeza... :-)
    Obrigada, muito obrigada. E perdoa a minha distração, perdoas?
    Um beijo, querida Teresa, e outro abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que podes! Hoje à tarde já andou aos saltos, tão lindo. Nascido ontem, ninguém acreditaria, se não visse. E queria mamar na outra vaca...enfim, ela não estava a achar graça nenhuma.
      Às vezes as flores choram, tens razão. Outras são os bezerros que dão cangochas e nos fazem gostar da vida.
      Um beijo e bom trabalho, querida Susana.

      Eliminar
  2. Que notícias tão bonitas. Destas, assim bonitas, também faziam falta nos telejornais. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. luisa, é mesmo isso, deveria haver uma secção de felicidade nos telejornais :)
      Obrigada e bom passeio amanhã.

      Eliminar
  3. Respostas
    1. É lindo, Ava! Quando lhe tirei as fotografias fiz-lhe tantas festas, parecia cansado, mas à tarde já andava aos saltos. A mãe é mansa e deixa que nos aproximemos. Hoje foi tudo ver o bezerro, apareceu também o Girassol, o gato, curioso com o novo morador, e foi cheirá-lo. :)

      Eliminar
  4. Querida Teresa Borges do Canto,
    As fotos estão excelentes, de uma ternura imensa. Logo, mostrá-las-ei aos meus filhos. Que pena não ter vindo mais cedo e não as ter visto durante o dia do pai.
    Boa noite,
    Outro Ente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que eles vão gostar de ver. Amanhã também é dia do pai.
      Boa noite, Outro Ente.

      Eliminar
  5. O milagre da vida que sempre nos comove.

    Beijos ternos, Teresa :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tão limpo, tão enxuto, tão sereno.

      Como é bom presenciar a vida.
      Beijos, Maria Terna :)

      Eliminar
  6. É lindo e é pestanudo. Num instante, as mães os limpam e incentivam a pô-los de pé, para mamarem. É impressionante.

    Camel:)*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hoje já andou muito mais tempo em pé, e faz pela vida. É independente, adormece no pasto e vai mamar quando tem fome. É maravilhoso.

      Camurça:)*

      Eliminar