Atalhos de Campo


11.3.16

entre azuis





26 comentários:

  1. “Mas, quando falo dessas pequenas felicidades certas, que estão diante de cada janela, uns dizem que essas coisas não existem, outros que só existem diante das minhas janelas, e outros, finalmente, que é preciso aprender a olhar, para poder vê-las assim”.

    Cecília Meireles, Última entrevista, maio de 1964

    Lilases, azuis ou amarelas, não importa. São simplesmente maravilhosas.

    Um beijinho, querida Teresa :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maravilhosa Cecília, que já me deu tanto a ver.
      Como tu.
      Um beijinho, querida Miss Smile :)

      Eliminar
  2. Lindos, também tenho esses lírios por cá!

    Isabel Sá
    http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São lindos, Isa, e o que está no canteiro de baixo, o branco (que está todo roído), ainda assim é lindo.
      Captam a luz como a seda, os lírios; como a seda natural.

      Eliminar
  3. violetas, as únicas que aceitam viver comigo :) são silenciosas e generosas, estão em flor durante todo o ano...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. blue velvet, misterioso, marítimo...como as anémonas.
      aqui ainda não acertei com o local, gostam de luz coada, como a sombra do mar...
      é para ti :)

      Eliminar
  4. Lilases, azuis ou violetas não importa, são lindas e resplandecem nos dias de sol como foi o de hoje :)

    ResponderEliminar
  5. obrigada Teresa, muito! gostam da luz do nascente, e de poucas conversas.

    tem uma noite tranquila, como elas, discretas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sempre tinha razão em as pôr no escritório...sempre tão silencioso, tão a leste.

      gosto disso, ana, obrigada.
      noite tranquila

      Eliminar
  6. Por aqui a Primavera já chegou, Teresa.:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Chegou hoje; será que fica?

      Boa noite, e porque não, boa Primavera :)

      Eliminar
  7. Que belas, Teresa! Eu gosto muito de me aproximar assim do mundo em pequeno e ver-lhe a penugem, fotografar-lhe as entranhas. É um mundo enorme!
    Que cores magníficas, massajam a vista, querida Teresa. :-)
    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O interior das flores é arrepiante de bonito, de exótico, de sensual. Um outro mundo, ainda pouco explorado, e que tu tão bem fotografas. Aí é que eu noto uma semelhança incrível entre as flores terrestres e as aquáticas, as cores são fabulosas, intensas, únicas. Porém os azuis derrapam muitas vezes para os anis e roxos, e o contrário também é verdadeiro; é difícil conseguir a cor exacta, muda muito com a luz.

      Um lírio para ti, querida Susana, destes que eu pus na terra.
      Bom fim-de-semana.

      Eliminar
    2. Obrigada pelo lírio, Teresa. Eu sou capaz de ficar tempos a olhar flores, só a olhá-las. O seu interior conta histórias que nem sempre conhecemos, não é?
      :-)

      Eliminar
    3. Acho que conta sempre histórias de amor... :)

      Boa noite, querida Susana.

      Eliminar
  8. Respostas
    1. Não, Manel, estes são lírios híbridos, plantas ornamentais também conhecidas por flor-de-lis ou íris. Os lírios do campo são espontâneos e aparecem nos prados durante a Primavera, aqui no Alentejo. São mais pequenos e mais singelos, entre o azul, o branco e o lilás.

      Eliminar
    2. algumas não têm nomes nada bonitos...eu não gostava de me chamar ger(bera) :)

      Eliminar
  9. É verdade. Algumas flores ao desabrocharem mostram o seu mecanismo, o seu coração, outras nunca o revelam. E todas o têm, lindos e diferenciados, até as das pedras da calçada. Mas eu arriscaria a dizer, que esses centros de coroas mil, conseguem superar os seus brocados.

    Beijinhos coroados

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As ínfimas flores entre as pedras da calçada, um mundo em canteiros miniatura. Há-as de todas as cores e formas; fico a pensar no seu significado, na sua lição de tenacidade. Serão perfumadas?

      Beijinhos florais

      Eliminar
  10. Acho que as flores são femininas, todas. Eroticamente ondulantes.
    Lindas, estas!

    Beijos, Teresa, e bom resto de dia :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também acho Maria, ou então casais abraçados, apanhados desprevenidos; homens sozinhos nunca. :)

      Beijos, Maria Flor :)

      Eliminar