Atalhos de Campo


19.3.16

É o teu dia, dizem.


























I am always behind
or on top of you.
Full of dust, ash, and air
I smell of every room
you ever walked through.
I rise when offended,
creak when wet. How
easily we part, adieu,
how often I leave trails
of myself in your wake.

Jo Shapcott * Riddle

in memoriam

10 comentários:

  1. Uma foto linda, como sempre. E como tu.
    Um abraço apertado, querida Teresa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada tanto, porque sei tão bem o que sentes.
      Um abraço apertado, nada "horroroso", querida Susana.
      Tem um dia com muita paz. Nasceu ontem um bezerro, tão mas tão lindo.

      Eliminar
    2. A sério???? Nasceu um bezerro?? Eu se visse uma coisa dessas a acontecer, acho que chorava de alegria... acho não, tenho a certeza.

      (o abraço pode bem ser todo "horroroso", pode pode)
      :-)

      Eliminar
  2. "O sabor do pão e da terra
    e uma luva de orvalho na mão ligeira.
    A flor fresca que respiro é branca.
    E corto o ar como um pão enquanto caminho entre searas.
    Pertenço em cada movimento a esta terra.
    O meu suor tem o gosto das ervas e das pedras.
    Sorvo o silêncio visível entre as árvores.
    É aqui e agora o dilatado abraço das raízes claras do sono.
    Sob as pálpebras transparentes deste dia
    o ar é o suspiro dos próprios lábios.
    Amar aqui é amar no mar,
    mas com a resistência das paredes da terra."
    (...)

    António Ramos Rosa/Aqui Mereço-te

    Um abraço apertado, querida Teresa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Em qualquer parte um homem
      discretamente morre.

      Ergueu uma flor.
      Levantou uma cidade.

      Enquanto o sol perdura
      ou uma nuvem passa
      surge uma nova imagem.

      Em qualquer parte um homem
      abre o seu punho e ri.

      António Ramos Rosa/ O Grito Claro

      Obrigada, querida Miss Smile, que as glicínias abram, e perfumem dias felizes.

      Eliminar
  3. Não tenho poemas para te enviar mas entendo o teu tão bem...e a imagem...
    Obrigada Teresa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Não tenho lágrimas
      estou mais baixo
      junto à cal

      Vejo o solo extinto
      Não oiço ninguém
      E não regresso

      Adormecer talvez
      junto a uma estaca
      com uma pequena pedra
      sobre as pálpebras"

      António Ramos Rosa/ A Intacta Ferida

      Obrigada ana

      Eliminar
  4. Dizem...No meu caso, é um momento, nunca sei quando. Pode ser uma foto que encaro, lembrando que já ali estava a fitar-me, uma dedicatória em que tropeço, um poema numa folha que teima em espreitar-me, um trecho musical intrometido. Nunca sei, mas sei que gosto muito. Aguardo visita.

    Lilás
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É tão bonito o que presenciei aqui, no pequeno grupo de pessoas que frequento, muitas já perderam o pai, e essa memória toma proporções mágicas neste dia, talvez porque já não podem estar perto, aproximam-se umas das outras pela perda, que é comum.

      Perfume
      Beijinho

      Eliminar