Atalhos de Campo


21.2.16

Prova de vida



























23 comentários:

  1. 'isto' sim! de fazer inveja à Mumu...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. um re(pasto), ana; há vacas a chá e bolinhos...de arroz. :)

      Eliminar
  2. Muito interessante esse post.

    Arthur Claro
    http://www.arthur-claro.blogspot.com

    ResponderEliminar
  3. A Mumu está, neste momento, em parte incerta, a tratar das unhas e do cabelo. Por razões de segurança, não posso revelar a sua localização, mas posso assegurar que se encontra bem. Dormiu toda a noite, comeu erva e bolinhos de arroz. Até já sorriu. Entretanto, foi convidada para contracenar ao lado de Gérard Depardieu no filme “Le fabuleux destin d'une vache qui ne voulait pas finir en hamburguer”. O filme, patrocinado pela “Vache qui rit” conta a história de um talhante sem escrúpulos (Depardieu) que persegue Dulcineia (Mumu), uma simpática e bonita vaquinha, para fazer dela carne picada. O realizador, Vascó Bovinó, revelou que Mumu foi escolhida entre mil candidatas. Essas lambisgoias da fotografia também participaram no Casting, mas chumbaram por serem demasiado ruivas. Mumu, elle a bien sûr du sex appeal! Mais Ouiii!

    Au revoir, ma chérie, Mu, Mu!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Depardieu: Olá querida, que belo outfit, cheio de guisadinhos, hum, perdão guizinhos!
      Dulcineia: Krido, ah,ah, escusa de me olhar para o decote...faz-me corar.
      Depardieu: E o que fez à marrafa, tá tãããoo gira! E os cascos pintados de verde alface querida, ainda a acusam de ter ido às couves...
      Dulcineia: Assim envaidece-me, Gérard, você é que é très beau, parece mesmo um Charolês, (é mesmo o meu tipo de homem- aparte, com um trejeito, virada para a blogosfera). Olhe trouxe-lhe cinco litros de leite; sei que é de muito alimento, querido.
      Depardieu: Então e onde quer a minha estrelinha ir jantar? Pode ser a uma hamburgueria, ou sugere outra coisa, da última vez não conseguiu acabar o hamburguer, minha MuMu querida...
      Dulcineia: A culpa é toda do papel que lhe deram, meu touro, você era suposto fazer-me em picado, lembra-se, então comecei a comer mas veio-me um prião à boca, Krido, e lembrei-me das vacas todas loucas...mas olhe por si é que estou louca, aquele Vascó é mesmo um bovino com olhar de carneiro mal morto, um ressabiado...um talhante!
      Depardieu: Não fale assim do Vascó, vaquinha dos meus sonhos, não se esqueça que ele a escolheu para o papel principal, e contra-cear comigo não é para todas. Que belo naco que és, Krida!, (afagando-lhe o pescoço);
      Dulcineia: Um chateaubriand, querido; trate-me bem! (aparte para a blogosfera, enquanto raspa o casco direito no chão)- um chatô, é o que és!)
      Depardieu: Minha saborosa, chega-te aqui (aparte para a blogosfera- chega mas é para lá esses chifres);
      Dulcineia: E sabe querido, eu ganhei àquelas grandes vacas do casting, as manas ruivas, e a outras loiras, mais de mil! Nenhuma tinha um pojadouro como o meu no portfólio, essa é que é essa!
      Depardieu: Por mim chamo-lhe um figo, meu bifinho do lombo mal passado...
      Dulcineia: Foi logo o que eu pensei, meu bem. (aparte para a blogosfera,-dou-te bifes e tu dás-me hamburguers...)
      Depardieu: Pareceu-me ouvir qualquer coisa...olha, já me esquecia, trouxe-te um arganel de Paris...
      Dulcineia: Já me chegam os brincos e o ferro de família. E o arganel é para quê, a esta hora?
      Depardieu: Pour Dieu, usa-se, nunca reparou?(aparte para a bogosfera, é vaca mas não é burra)
      Dulcineia: Olhe krido, vou ali aos bastidores e já venho. Está lá uma novilha giríssima ansiosa por te conhecer...
      Depardieu: Não se mace, você é mais o meu género... (aparte para a blogosfera, Tenrinha, oh, até podem vir duas!)
      Dulcineia: Eu quero o melhor para o meu Sancho Pança! (aparte para a blogosfera-Já vais ver como dás às de Vila Diogo!)
      Dulcineia, dirigindo-se ao guarda-costas: Olhe Muhammad Bisonte, é Ali; depois já podemos ir jantar descansados, eh, eh, eh.

      Eliminar
  4. Abraçou-a com tal emoção que a sufocou sem querer, foi?
    Nã me diga!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. bifes, suculentos, a pingar, mal passados...
      esse nã, paga direitos de autor...

      Eliminar
    2. pensei que era a melhor forma de me perceber, com o Ho kkaído...

      quanto aos bifes com nódoas de sangue e todos amarrotados, dispenso (não me diga que ainda é o rescaldo daquele domingo das pessoas feias, lá nas criaturas míticas...)

      Eliminar
  5. http://ciganomaltes.blogspot.pt/2016/02/macbaca.html?showComment=1456088228482

    Isso é tudo muito bonito, mas nós ganhámos novamente.
    Essa fotografia é de ontem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O último a rir é quem ri melhor...e se a vaca já nã ri, eu ainda posso, ah,ah, ah!
      A fotografia é de hoje, ou julga que sou de fotoshops e outras manipulações, botox e isso?

      Eliminar
  6. Vocês baralham-me toda.
    Onde começa o 'folhetim'?
    Pronto, sou uma blogo-excluída.
    Onde raio está o livro de reclamações?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ontem, na afamada casa sem chá (ruptura de stock), uma vaca comeu o livro de reclamações por falta de alimento. O livro vai ser, ele próprio, a reclamação (quando aparecer). (Re)começou tudo ontem, quando Madame Smilenska publicou nas R-E-D-E-S sociais a fotografia de uma vaca anoréctica. Ava (Gardner), é blogo-bem-vinda a este intrincado caso, desde que tome o meu partido. :)

      Eliminar
  7. Teresa, esse "behind the scenes" é delicioso! Muito bom :)

    ResponderEliminar
  8. Depois de uma análise bem aturada não me parece que estas tivessem lá estado. Não me parece mas,...há vacas loucas...
    Tinham tatuagens 7516? Over? Over?...

    ResponderEliminar
  9. eu fico para o chá com bolinhos de arroz, na companhia das ditas :)

    ResponderEliminar
  10. Mas, que grande bode--------------------------------------------Fui!:)
    -expiatório!

    ResponderEliminar