Atalhos de Campo


28.2.16

O sonho

6 comentários:

  1. Em modo natural
    Nem é preciso sonhar
    Basta seguir as linhas do tempo
    Basta ser, basta estar.

    Uma boa semana :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Eles são para sempre duas pequenas árvores
      Isoladas numa planície leve
      Nunca mais se separarão."

      Paul Éluard/ A Aliança

      Boa semana, AC.

      Eliminar
  2. As cegonhas vivem juntas uma vida, será por isso que nos inspiram os sonhos? :-)
    (São lindas mesmo assim todas sujas)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É inspirador, sim Susana. Se eu fosse ave queria ser cegonha, (ou cisne pela mesma razão), mas também porque os últimos tomam banhos de imersão... :)

      Já reparei que as cegonhas não são animais muito limpos...enquanto as garças têm de uma brancura imaculada, as cegonhas andam sujas, estando lado a lado no mesmo campo. E parece que as "casas" delas também...
      Esta fotografia ainda não é "aquela"; foi de uma série que eu tirei da janela do escritório, com a rede mosquiteira pelo meio, porque mal percebem o mais pequeno movimento, voam. Também as acho lindas. :)

      Eliminar
  3. ...o sonho é...,
    como estas aves que gritam
    em bebedeiras de azul...
    ...o sonho é...,
    vinho, é espuma, é fermento,
    bichinho alacre e sedento,
    de focinho pontiagudo,
    que fossa através de tudo
    num perpétuo movimento.
    ...o sonho é...,
    contraponto, sinfonia,
    máscara grega, magia,
    mapa do mundo distante,
    ouro, canela, marfim,
    florete de espadachim,
    bastidor, passo de dança,
    Colombina e Arlequim,
    passarola voadora,
    ...
    "Pedra Filosofal" de António Gedeão

    E assim, lindas, de olho luzídio, as cegonhas libertaram o poema...:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São tudo isso, as cegonhas...poemas rimados a dois, harmonia, voo perfeito que ao sol, parece abraçar o dia.
      :)

      Eliminar