Atalhos de Campo


13.2.16

o regresso da toutinegra

pequeno pássaro 
grandes asas
ninho escondido perto do chão
hera ramos e bagas
plumagem cinza, boina escassa
matas sombrias 
asas grandes
pequeno pássaro
melodia rara
em meu coração
assobia

12 comentários:

  1. Tiro a boina e faço-te uma vénia pelo poema.

    Um beijinho com assobio matraqueado :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São lindas, as toutinegras. Fizeram ninho numa hera ao pé da casa. São muitas, elas de boina ruiva, eles de preta. E cantam maravilhosamente, estas, as de-barrete-preto (descriminação de género, claro).

      Um beijinho musical

      Eliminar
  2. São lindas merecedoras da tua poesia

    Boa noite, meninas :)

    ResponderEliminar
  3. Muito bonito, Teresa. Esses pássaros só revelaram o universo que habita em ti.

    Os pássaros são inatingíveis. Não são para pegar ou afagar, mas para contemplar. São frágeis, mas tão poderosos na emoção que provocam. A penugem, as cores das penas, o azul cobalto, o azul cyan, o padrão dominó. Olha, fico como que embriagada a olhar.

    Cyan :)

    ResponderEliminar
  4. Respostas
    1. ...agora já estou um bocadinho cansada, Madalena, vou aproveitar o vento, e planar...:))

      Eliminar
  5. Pequeno pássaro com grandes asas para grandes voos. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso, GM, grandes asas para atravessar o frio grande. :)

      Eliminar
  6. Mas olha, cuidado. Planar com este vendaval?! :)

    ResponderEliminar