Atalhos de Campo


18.2.16

bem-educado

Em certa noite há mais de dez anos, e já a horas tardias, recebi no telemóvel uma mensagem escrita de fazer corar as pedras enegrecidas, fuliginosas e escorregadias, da monótona calçada. Com muitos Kapas, eFes e Cês, prosseguia com promessas, pormenores, e exortações. Era sexta-feira, mas não de véspera de finados, e estava a ser notificada para uma noite de amor inesquecível, com tudo o que era suposto eu gostar. Detive-me a olhar para o ecrã luminoso com uma boa risada, tinha sido seguramente um equívoco, um número de telefone desconhecido ali escarrapachado, e assinado por um (muito), e Et cetera. Entre o divertido e o escandalizado, fiquei-me pelo silêncio sonolento do cansaço hebdomadário(?), e da promessa de descanso no fim da semana. No dia seguinte, qual não foi o meu espanto, quando recebo do equivocado outra mensagem escrita com boa caligrafia e menos Kapas, quase sem eFes e nenhum Cê, nem erros ortográficos, pedindo muita desculpa pelo engano. Quase me apeteceu desejar-lhe que tivesse boa sorte por escrito, com uma tal de K.

Nota: onde se lê hebdomadário, deveria ler-se indiscutível. 

9 comentários:

  1. Querida Teresa Borges do Canto,
    Estou tentado a dizer que encolheu. O título.
    Beijo,
    Outro Ente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E não é que encolheu? Só podia.
      Beijo, querido Ente.

      Eliminar
  2. ...la maja Olympia desnuda tumbada en el canapé con teléfono célular:)

    ResponderEliminar
  3. A escolha é difícil. Mas aprecio a que foi por ti sugerida.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. antes Olympia que Karina, que era o caso...
      Não gosto especialmente desse quadro, confesso, prefiro a maja vestida. :)

      Eliminar