Atalhos de Campo


25.2.16

E o homem encontrou a cadela...

(...)
Mesmo assim, repito o meu conselho: uma cadela é mais fiel do que um cão, os meandros da sua mente são mais subtis, mais ricos e mais complexos, e a sua inteligência é geralmente superior. Conheci já imensos cães e posso dizer com toda a convicção que, de todas as criaturas, a mais próxima do homem na finura das suas percepções e na capacidade de retribuir a verdadeira amizade é a cadela. Estranho é que em tantas línguas(incluindo o português) o seu nome tenha adquirido uma conotação tão pejorativa.

Konrad Lorenz/ E o homem encontrou o cão...

7 comentários:

  1. É verdade que a palavra “cadela” tem uma conotação pejorativa, sobretudo nas línguas românicas. Maria Antonieta, por exemplo, que era austríaca (e, portanto, “Autrichienne", em francês), era, muitas vezes, apelidada de "Autre-chienne" pelo povo que não resistia ao trocadilho insultuoso.

    Li, algures, que os cães têm tendência para preferir um elemento da família enquanto as fêmeas tendem a gostar de todos. Não sei se é verdade, mas demonstraria que as fêmeas conseguem fazer várias coisas ao mesmo tempo :)

    Um beijinho, Teresa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma belíssima achega este teu comentário que põe tão bem em evidência o lado depreciativo do termo, num exemplo prático da História. Lamentável... Merci!

      Quanto à diferença entre cães e cadelas, nunca notei isso que dizes. Há sim raças que têm essa característica muito marcada, por exemplo o Chow-Chow, que é um cão(ou cadela) de um dono só, fixando a sua afectividade sobretudo numa pessoa que elege na família. O que se passa, penso eu, tem mais a ver com a instabilidade emocional e a independência dos machos, e também com a sua agressividade, características mais hormonais que outra coisa. O cão é mais insubmisso, desobediente e nervoso, enquanto a cadela é mais calma e afectiva, mas pode também ter preferências, tal como o cão, que pela sua natureza mais dócil passem um pouco despercebidas. Eu também prefiro cadelas, sem qualquer dúvida. E é claro que conseguem fazer várias coisas ao mesmo tempo, isso é absolutamente feminino. :)

      Um beijinho, querida Miss Smile.

      Eliminar
  2. As palavras do autor são muito pertinentes, e subentende-se nelas uma analogia subtil com a raça humana no feminino.
    De facto, sempre ouvi dizer que as cadelas eram mais inteligentes, mas nunca liguei muito a essa premissa. Contudo e por termos de comparação, a minha experiência empírica leva-me a concluir que as cadelas parecem ser capazes de estabelecer um maior e mais complexo envolvimento emocional com os seus donos. Arriscaria mesmo a dizer que talvez se possa fazer um paralelo com a inteligência emocional da mulher, de que hoje tanto se fala. O que faz sentido, se pensarmos no papel da maternidade inerente às fêmeas.
    Não há dúvida que o mundo feminino é versátil!

    Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. versátil=sobrevivente

      A mulher é a sobrevivência da espécie.

      Um beijinho

      Eliminar
  3. Pois, e a natureza não se esquece e faz questão de nos lembrar...:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A natureza é sempre sábia; saber escutá-la é que é difícil...:)

      Eliminar