Atalhos de Campo


4.1.16

Num jardim tropical

Paixão Extraterrestre

li os teus dois poemas no jornal
durante aquela vasta solidão
em que me vi sem homens,
os dois braços que me partiram
ao meio do percurso numa
refrescância de piscinas ao deus-dará
onde eu mataria um leão por dia,
salpicando de dor o livro e o
meu corpo sob a chuva tempestiva
de verão, azul, um menino descalço,
























sujo e sem nome, duas mulheres 
que sorriem enquanto ando tão
rápido e com as mãos nos bolsos,
pois em todas as esquinas eu
esqueci perdidamente o olho
no buraco da fechadura, e você
não entende do que é feito o meu país,


























mas as tuas andanças oscilam
entre uma ponte aérea ou viagem
internacional de cegos, pessoas
sem a mínima classe, ou uma




echarpe que te consome e que
não me ensina a viver a grosso modo,
cada traço devidamente organizado, 
os dois beijinhos na festa,


























eu fugindo do sexo já a me satisfazer
numa futura crise de remorsos,

compaixão, inveja do que eu jamais
permitiria, à mercê dos numerosos
amantes aqui destronados, molhados
de prazer, gênio indomável,



























nave espacial do extraterrestre

que se apaixona por mim e
anota o número do meu telefone.

Antonio LaCarne

























Personagens do jardim tropical, por ordem de actuação:
- Alpinia purpurata
- Helicônia 
- Helicônia red lobster
- Anthurium andraenum
- Alpinia zerumbet variegata
- Anthurium andraenum
- Zingiber spectabile

2 comentários: