Atalhos de Campo


27.1.16

Greve de Zelo

Em solidariedade com movimentos iniciados, aquiaqui, aqui, aqui, e aqui, e, felizmente, aqui, este blogue começará hoje uma greve de zelo, que se prolongará até ao regresso do nosso mestre,"lá das internetes", D. Xilre, entoando canções, publicando poemas e fotografias, e reduzindo o ritmo, até à sua própria extinção. Pelo regresso dos idos(os), lutaremos até ao fim. Manter-nos-emos em vigília por turnos. Entraremos em greve de fome, se preciso for, não comendo, nunca mais, bifes de vaca.   

34 comentários:

  1. querida Teresa, se por uma vaca (sagrada, é certo), lutámos contra piratas e corsários e mafiosos e afins, pela pena do escriba, podemos até roubar um Sputnik aos russos e ir pelejar na lua :)

    o infinito é o limite! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida flor, vamos até ao fim nesta luta. Podem usar a quinta para esconder material bélico. Estamos neste momento a produzir milhares de aparos feitos com penas de todas as cores para distribuir pelas centenas de bloggers que se concentram desde a madrugada em frente à sede do Xilre, gritando "Xilre, só há um, o da pena e mais nenhum!", e a exigir posts, gritando "Só mais um, só mais Mil!". A Dona Aureliana, com aquele sorriso "lá dela", chora, e não pára de oferecer cafés a toda a gente. O Chico mantém-se em greve de silêncio, e ofereceu a sala do café para uma conferência de imprensa feita pelo J.P.Andrada sobre o tema, «As Internetes com e sem Xilre; o futuro»; Orchidée, a sua dama, em parceria com o Notas de Chá, oferece o catering das pausas para chá, onde serão lidos textos e poemas do mestre, e onde se ouvirá música escolhida pelo próprio, seleccionada a partir do blogue. Miss Smile estará numa sessão de autógrafos a partir das 19 horas, envergando uma gargantilha de ouro e pedras preciosas, vestido comprido de seda preta, saltos de dez centímetros, e já fez constar que não sorrirá. A confuão é total, o preço do Brent foi congelado online, O FMI, mantém-se solidário com a conster(nação) deste movimento, a cotação na bolsa continua a baixar a cada minuto, sem razão aparente. Espera-se um colapso económico e emocional nunca antes visto. Só o luar de Janeiro nos salvará, afirmou, Cuca a Pirata, que não escondeu uma lágrima de preocupação pelo déficit nos saques que está previsto a partir do próximo mês, "furtarei todos os Borges das bibliotecas públicas em sinal de protesto pelo encerramento do Xilre", preveniu em tom ameaçador, e que ninguém se lembre de ler Borges em público, haverá sangue!, disse, no fim da entrevista à rádio, A Voz Pirata. Entretanto flor já se encontra na lua com Mimi e uma gato assanhado, para o que der e vier, Susana, prometeu que só produzirá posts Maus, mas maus, Maria, exige xilreios, Palmier promete uma invasão a descoberto.

      o infinito é o limite! :)

      Eliminar
  2. Podemos, até, acompanhá-lo naquilo do tofu e dos rebentos de soja. Mexeremos o café com colher mesmo que não usemos açúcar!
    Quem sabe se fizermos Orchidée aderir à greve?!

    Os bloggers, unidos, jamais serão vencidos!
    Um, dois, três, queremos xilreios outra vez!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O infinito é o limite! :)

      Sequestraremos a dona Aureliana, e Xilre não tomará mais café da manhã!
      Poremos sal em vez de açúcar no café; confiscaremos todas as colheres!
      Orchidée gritará "le pauvre, le pauvre", sem ninguém a ouvir!
      E quem confisca o tofu é a Maria Tu!
      E faremos para ele um haiku a três:

      Xilre cederá, e xilreará outra vez,
      um, dois, três
      rebentos de soja é chinês!

      Eliminar
  3. logo hoje que acordei com o Gengis Khan incorporado - alinho!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Seremos um castigo divino para Xilre, por nos ter abandonado!
      Pegue no Gengis Khan que há em si, e lute!

      O infinito é o limite! :)

      Eliminar
  4. Respostas
    1. flor, de si parte um brilho lunar nunca antes observado, tudo a postos aqui na terra, Xilre não resistirá muito tempo aos nossos (des)encantos, fará um post compassivo, pedirá desculpas, e Bruxelas aceitará o Orçamento do Estado 2016! eu própria irei na passarola ter consigo ao Mar da Felicidade, e brindaremos à vitória com champanhe francês!

      O infinito é o limite! :)

      Eliminar
  5. Não sei, mas estou contra!
    Alinho!

    "Sejam realistas, exijam o impossível"!

    O infinito ao Poder!
    A luta continua...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Madalena, sabia que podia contar contigo. Xilre é imperdível, mas agora não conseguirás inteirar-te da sua verdadeira dimensão, já que só tem o último post acessível. Temos que o trazer de volta, e quantos mais formos melhor.

      "Tu, camarada, tu, que eu desconhecia por detrás das turbulências, tu, amordaçado, amedrontado, asfixiado, vem, fala connosco."

      O infinito ao Poder!
      A luta é tua...

      Eliminar
  6. isso seria excelente, mas como em tudo, a beleza está no caminho, e esse que descreve é fantástico :)

    ao Xilre, flutes ao alto, Saúde!

    ResponderEliminar
  7. Querida Teresa, permite-me deixar aqui alguma informação importante de última hora. Contrariamente ao anunciado, não aparecerei de vestido comprido de seda preta. Este será usado pela Ordichée durante a sessão de autógrafos. La pauvre, de tão abalada que ficou com a notícia da partida do nosso caro Xilre, saiu de casa assim como estava, isto é, de roupa interior de caxemira penteada, caniche debaixo do braço e alma nua, para se refugiar chez moi, na penumbra do Notas de Chá, que se mantém fechado por ordem da ASAE devido à existência paralela de um centro de estética na despensa do estabelecimento. Assim, ou aparecerei de gabardina ou envolta na colcha da cama. É certo que a colcha me realça o tom da cútis mas ainda não decidi. Na sessão de autógrafos, começarei por realizar um ritual do chá – gestos precisos e requintados em honra do aristocrata da blogosfera - D. Xilre. Depois, Dona Aureliana servirá uns amuse bouche - dois rebentos de soja e puré de tofu em geleia de algas, seguidos de café sem açúcar (com colher).
    E, agora, se me dás licença, tenho de ir. Tenho a Ordichée e a Milu na despensa à espera de retoques. Porque a vida também é Arte.
    Usemos toda a nossa beleza e inteligência ao serviço desta cruzada! Consta que D. Xilre não é imune às duas.


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. (saudades, Miss Smile!!! se fizermos uma greve igual, volta? :))))

      beijos, muitos, e um aperto de bochechas para a Milu :)

      Eliminar
    2. Miss Obladi, Oblada

      Desde que se enfiou debaixo da colcha e pôs a tabuleta - Closed - na porta, que me pareceu que foi masé para as Caraíbas, gastar o dinheirinho das unhas de gel, das depilações a laser, das limpezas de pele, das esfoliações, das massagens, sim, a massaroca que ganhou ilicitamente, lá naquele salão para branqueamento, tudo muito selecto e vai-se a ver era um corrupio para a despensa, dona dos chazinhos. A mim não me apanhou lá, isso sim, sempre fiz as unhas numa lojinha metro, ali para o Martim Moniz, tudo muito asseado. E agora põe a Dona Aureliana, a pobrezinha que não sabe da missa a metade, a servir tapas de uma espuma qualquer a saber a tofu, com aquele sorriso branco como o açúcar lá dos equadores, tudo para se amuser, n'est-ce pas?, imagino quanto "la pauvre" Orchidée, não, o "pauvre" Andrada é que é, pagou por isso, para além do aluguer do vestido de seda preta e do caniche a condizer! E diz a senhora que vai de colcha? pois está visto que perdeu a vergonha, usar uma colcha por cima do corpo, que pode deslizar a qualquer momento, enquanto dá um autógrafo a um incauto consumido pela febre do movimento "Xilre, volta, estás perdoado!" Esse Xilre também me saiu cá um traidor, veja lá o que ele faz ao mulherio, agora anda tudo com uma pena espetada no cabelo, e a tatuar uma frase lá dele, aquela da agulha num palheiro, descalço, mas quem é que no seu juízo vai descalço para um palheiro, só mesmo um intelectual, já se viu. Olhe lá ó doutorazinha disfarçada em mulher fatal, eu vou masé reunir um exército de homens para acabar com esta brincadeira, e vamos pregar umas tábuas em cruz lá nesse hebdomadário das internetes. Se perdeu o pio ainda bem, que só fazia concorrência cá à rapaziada que gosta de reinar, e ele é que leva as boas, se me faço entender, isso sim.
      Passar bem, ó Miss Money Bill, use masé a geleia de algas na cosmética, que eu prefiro um pastel de bacalhau!
      E veja lá se resolve isso da ASAE, que tem muita gente a querer beber do seu chá, ouviu?

      Manel Hilário

      Eliminar
    3. Eu liderou uma guerra de guerrilha para trazermos Miss Smile de volta!
      Se é praia e mar que quer, levamo-la a passear, pronto!
      Vá lá, Miss Smile, poupe-nos o treino militar e a despesa em armamento!

      Eliminar
    4. Miss Smile,
      Agora percebo porque anda Milú tão anafada... ainda no outro dia a comparei à Barril e achei-a a perder por muito pouco.
      Ainda a banhos?
      Um beijo,
      Outro Ente.

      Eliminar
    5. Querida Teresa Borges do Canto,
      Ah! Ah! Ah! Ah! Bom demais. Tudo. Calçada ou descalça, com ou sem colcha, chalada ou sem chá, a menina é um ponto.
      Noite feliz,
      Outro Ente.

      Eliminar
  8. Camaradas, o pássaro xilreou!!! Mas porfiem! Nunca se sabe se é uma manobra de diversão para escapar mais facilmente!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Porfiemos, Maria! Façamos turnos pela noite fora, pintemos slogans nas paredes! Empunhando cartazes vigiaremos a janela do mestre internauta sem tréguas! Não o deixaremos escapar. Não são horas para manobras de diversão: divertir-se agora, era o que faltava! :) Ele tem é que publicar um post maravilhoso, daqueles que só ele consegue, e exigiremos que faça connosco um contrato vitalício por escrito com a S.T.Dupont lá dele, a tinta azul e assinado no notário. Seremos todos testemunhas, incluindo os seus personagens!

      Eliminar
  9. Querida Teresa, queridas comentadoras, eu já não sei se são melhores os posts se melhores os comentários. Isto é belo.
    Até me vou sentar...

    (mas acho, acredito, que conseguimos, hein?)
    :-)))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Susana, estive todo o dia sentada a escrever, acho que me vou pôr de pé...
      Se este movimento não surtir efeito, o Xilre é... é, hum, é, é...um robot, sem coração.
      [e aqui entre nós as duas, agora que ninguém nos ouve, ele não é um robot, pois não?]
      :))

      Eliminar
  10. Presente camarada!
    A nobreza de um camarada está na luta sem tréguas até ao "xilrear" derradeiro.

    Ergamos "A Invencível Armada" e façamos a "Táctica do Quadrado".
    Camarada, já é escuro como o breu e a noite não promete alumiar, mas tu sabes,...
    "ceder um pouco é capitular muito"

    Levantemos as bandeiras ao infinito, camarada bem-amada!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Camarada Madalena, quando a alma não é pequena!

      Inventemos um homem novo, um novo Xilre!
      Joguemos xadrez e...às damas (sueca e canastra); king e bridge; poker, monopólio, vá...
      Usemos a táctica do triângulo (desditoso), e a da invencível amada, camarada...ao crapô.

      tu sabes,...
      "A acção não deve ser uma reacção, mas uma criação."

      Levantemos ao infinito a bandeira do desdito...
      finito!
      Tenho dito.

      Eliminar
  11. lá no meu canto já puseram muitas hipóteses...mas acho que lhes escapou o robot... EU acho que é um robot!!!! só pode....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ana, é a pior notícia do dia e da noite, não temos robot para convencer um robot, que não quer ser convencido. Vou mandar o "pássaro cantor" pousar-lhe de madrugada na janela, a ver se resulta...talvez haja um clique; será que os robots têm disso? Vou agora entrar no turno da noite...

      Eliminar
  12. Bom, camarada. Sendo assim e já que fui nomeada ontem, vou mandar dispersar, desmobilizar e bater em retirada, até à próxima campanha.
    Camarada, fica de vigia na ameia |_|=|_|=|

    Até amanhã camarada!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Assim será amiga
      Esta guerra está vencida!
      Assim será camarada
      Se não batermos em retirada!

      Até amanhã!

      Eliminar
  13. Querido Outro Ente,
    Na verdade às vezes sinto-me um pouco baralhada com os sinais de pontuação. Porém, gosto da sensualidade das vírgulas, tropeço nas reticências, mudo de chapéu com facilidade, contemplo interrogações, esforço-me por exclamações, sonho com tremas, dois pontos parecem-me uma pontificação, o ponto e vírgula uma união de facto, o ponto final um direito. Mas o que eu gosto mesmo de fazer com isto tudo é divertir-me, e de passar entre os acentos agudos e graves sem me magoar, sobre o travessão sem escorregar.
    Um beijo, e um dia muito feliz para si.
    Obrigada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. {e eu guardo-lhe a belíssima prosa entre chavetas, não vá alguém roubar}

      Eliminar
  14. flor, o que é uma chaveta, um nariz grande? :)

    ResponderEliminar
  15. e muito elegante, muito mais do que o empertigado parêntesis recto. :)

    quanto aos covers, são quase sempre piores do que os originais...
    Um abraço desses, apertado, "com cinco dedos de cada lado".

    ResponderEliminar