Atalhos de Campo


19.1.16

Na curva

10 comentários:

  1. É na curva do corpo amado que repousam o desejo e a ternura.

    Beijos, Teresa. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Desvio dos teus ombros o lençol,
      que é feito de ternura amarrotada,
      da frescura que vem depois do sol,
      quando depois do sol não vem mais nada...

      Olho a roupa no chão: que tempestade!
      Há restos de ternura pelo meio,
      como vultos perdidos na cidade
      onde uma tempestade sobreveio...

      Começas a vestir-te, lentamente,
      e é ternura também que vou vestindo,
      para enfrentar lá fora aquela gente
      que da nossa ternura anda sorrindo...

      Mas ninguém sonha a pressa com que nós
      a despimos assim que estamos sós!

      David Mourão-Ferreira/ Ternura

      Beijos, Maria. :)

      Eliminar
  2. "A curva dos teus olhos dá a volta ao meu peito
    É uma dança de roda e de doçura.
    Berço noturno e auréola do tempo,
    Se já não sei tudo o que vivi
    É que os teus olhos não me viram sempre."
    (...)

    Paul Éluard / A curva dos teus olhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Os sentimentos aparentes
      A leveza de abordagem
      A cabeleira das carícias

      Sem cuidados sem cuidar o mal
      Teus olhos são entregues ao que vêem
      Reflectidos por aquilo que olham

      Confiança de cristal
      Entre dois espelhos
      De noite teus olhos extraviam-se
      Pare reunir ao desejo o despertar."

      Paul Éluard/ Nusch

      Eliminar
  3. Curvo-me perante este hino curvilíneo. Ah! Como ele conhecia as mulheres! A linha dura e inflexível, em oposição à linha curva livre e sensual. Gosto desta curva, a curva capaz da transcendência para lá da linha curva do horizonte...Ah! Como ele conhecia as mulheres!

    Beijos, de uma curva(:

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "A LINHA MÓVEL do horizonte
      Atira para cima o sol em diabolô
      Os ventos de longe
      Agitam docemente os cabelos da rocha
      Passam em fachos o primeiro automóvel, a última estrela
      A mulher que avança
      Parece criar esferas exaltadas pelo espaço
      Os pescadores puxando o arrastão parecem mover o mundo
      O cardume de botos na distância parece mover o mar."

      Vinicius de Morais/ Aurora, com Movimento (posto 3)

      Beijos, de outra :)(:

      Eliminar
  4. Curvo-me igualmente diante dos vossos hinos de veia poética, aguçados decerto pelo espírito de Niemeyer, ao som de "Tenderly"...

    Tenderly tender
    Beijinhos Teresa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Madalena, Deus disse: sois feitas dos mesmos genes.

      E agora só podemos fazer
      uma videoconferência de família,
      para esclarecer :)

      Beijinhos Madalena

      Eliminar