Atalhos de Campo


28.12.15

um homem que desenha bem



Gonçalo M. Tavares parece ter fugido de um romance de Queneau.
«É verdade. Foi de lá que fugi», dir-me-ia ele agora se pudesse 
saber o que estou a pensar. De certeza que ficaria delirante se 
soubesse que o imagino acabado de sair de umas páginas de Queneau. 
Tenho-o ao meu lado e, por muito real e bom amigo que seja, 
não consigo evitar que me recorde um homem desenhado.

Enrique Vila-Matas/Diário Volúvel

Sem comentários:

Enviar um comentário