Atalhos de Campo


26.11.15

Passagem para a noite (6)





















Delia: um dia reataremos (junto a que rio?) este diálogo
incerto e perguntar-nos-emos se, numa cidade que se perdia
numa planície, fomos Borges e Delia.

Jorge Luis Borges


12 comentários:

  1. Um fim de dia perfeito - na companhia de Jorge Luis Borges, Carlos Gardel e da Lua pelo teu olhar. Sabes que fazes magia, não sabes?

    Boa noite. Dorme com as estrelas :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Miss Smile, isto dos blogues é muito absorvente, compreendo perfeitamente a tua decisão. Sinto que vou ter que fazer o mesmo qualquer dia, mas é pena perdermos almas que nunca na vida acharíamos ao cruzarmo-nos na rua com as pessoas que as levam consigo, por mais que tentássemos. Foi um privilégio imenso conhecer-te sem te conhecer. E, de resto, o que mais posso dizer é que hoje estou triste, e com a consciência de que ao ter-te por perto, me senti muito menos só durante um ano muito difícil da minha vida. Bem hajas.

      Um beijinho estrelado, como um ovo :)

      Eliminar
  2. Querida Teresa Borges do Canto,
    Gardel! Que bom serão proporciona este atalho.
    Noite feliz,
    Outro Ente.

    ResponderEliminar
  3. Mas achas que te vês livre de mim assim tão facilmente? E achas que eu abalava assim do nada, deixando-te a ti, aos pardalinhos, ao Manuel Hilário? Nem pensar! Apenas vou deixar de escrever diariamente. De resto, nada mudou. E tudo está cada vez melhor. Não quero que fiques triste. Pensa nas coisas que temos aprendido uma com a outra, no que temos rido juntas e na cumplicidade que temos desenvolvido. Hoje, por exemplo, fizeste-me chorar com o teu comentário, mas são lágrimas doces e boas, porque tudo é gratificante. E eu estou muito grata por te ter conhecido e por saber que os nossos corações são da mesma família. Bem hajas, querida Teresa

    Um beijinho cheio de emoções, como um ovo mexido :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Compreendo e acho desejável que se escreva sem a pressão da publicação diária, e isso é bom. Fico a aguardar as boas novidades que aí vêm, com passagens inspiradas para a noite. E é verdade que os corações da mesma família sofrem e rejubilam de igual forma, por isso fico feliz por nada ter mudado, para que tudo fique melhor.

      Um beijinho, (sem colesterol, dado o adiantado da hora) :)

      Eliminar
  4. Li. ia retirar-me em silêncio, mas...
    Mais do que o post - e não desvalorizando, que como é hábito neste atalho, é em bom - sublinho a caneta virtual e faço apontamento desta frase que me encheu deliciosamente as medidas `é pena perdermos almas que nunca na vida acharíamos ao cruzarmo-nos na rua com as pessoas que as levam consigo, por mais que tentássemos.´
    E insisto, porque sou uma teimosa, e repito - Que isto não são só blogues.
    Desejo um excelente fim-de-semana-a-todos :)
    Beijos também

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Té, a caneta virtual é teimosa...às vezes foge debaixo dos dedos e faz das suas.
      Ainda bem, porque, como escreveu Cohen, se me deres silêncio, recebes silêncio em troca (a ideia é mais ou menos esta).
      Um bom fim-de-semana, e um beijinho agradecido.

      Eliminar
  5. Tinha que cá voltar hoje para te ver :)

    "Mal nos conhecemos
    Inaugurámos a palavra «amigo».

    «Amigo» é um sorriso
    De boca em boca,
    Um olhar bem limpo,
    Uma casa, mesmo modesta, que se oferece,
    Um coração pronto a pulsar
    Na nossa mão!

    «Amigo» (recordam-se, vocês aí,
    Escrupulosos detritos?)
    «Amigo» é o contrário de inimigo!

    «Amigo» é o erro corrigido,
    Não o erro perseguido, explorado,
    É a verdade partilhada, praticada.

    «Amigo» é a solidão derrotada!

    «Amigo» é uma grande tarefa,
    Um trabalho sem fim,
    Um espaço útil, um tempo fértil,
    «Amigo» vai ser, é já uma grande festa!

    Alexandre O'Neill / Amigo


    Ainda agora te conheci e já te sinto amiga de infância. You've got a Friend :)

    https://www.youtube.com/watch?v=xEkIou3WFnM

    Beijinhos Melgas :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quantas vezes cantei essa música, e que bonito era o James Taylor...
      Ainda me lembro da primeira vez em que escreveste aqui esse poema. O bis é bom. :)

      Um beijinho (agora não há melgas, deve ser a única vantagem deste frio).
      Mas ainda agora vi uma borboleta!

      Eliminar
  6. Conheço bem essa vista :)

    Espero que os meus olhos a encontrem novamente em breve.

    Bjs e saudades

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E eu conheço demasiadamente bem esta vista sem ti.
      Espero que os meus olhos te vejam em breve nesta paisagem. :)

      Beijos e saudades!

      Eliminar