Atalhos de Campo


27.10.15

the face without book

Viena, Abril de 2012
«What a joy to be healthy, if you don't have to be alone.»
Sigmund Freud to Martha Bernays -29/4/1885





























Não vejo o rosto a ninguém;
cuidais que são, e não são;
homens, que não vão nem vêm,
parece que avante vão;
antre o doente e o são
mente cad'hora a espia;
na meta do meo-dia
andais entre Lobo e Cão.

Sá de Miranda(1481-1558)/ Entre Lobo e Cão

[ Mas tenho livro de reclamações :)]

22 comentários:

  1. Teresa?...

    (é que para além de tudo, ainda é bonita!!! :))

    ResponderEliminar
  2. mas? como? o homem cabe naquele saco?! (cortou às postas?... jesus....)

    :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ando a ler umas coisas que metem facas, e tal :), primeiro foram as articulações, parece que rangiam, queixou-se-me a Miss Smile. fui a viena para consultar o freud sobre este meu estranho caso (tardio) de dupla personalidade, e aproveitei para as levar a um ortopedista de renome; mal estejam prontas envia-as, com porte pago no destinatário...

      Eliminar
  3. Respostas
    1. ...fona, eu? O Manel Hilário é que é. Se eu soubesse alguma coisa disto dos blogues, a teresinha nunca tinha existido (aqui para nós) :), e o dono disto tudo era ele!

      Eliminar
  4. (Caramba, Teresa!)


    «Tudo, tudo, tudo
    se condensou de repente
    numa nuvem negra de milhões de lágrimas
    a humilharem-me de ternura
    -eu que quero ser alheio, duro, indiferente...

    ... enquanto os Outros dançam, cantam, bebem,
    vivem, amam, riem, suam
    neste pobre planeta
    magoado das pedras e dos homens
    onde cresceu por acaso o meu coração no musgo
    aberto para a consciência absurda
    deste remorso sem sentido.»
    J. Gomes Ferreira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. " Era capaz de atravessar a cidade em bicicleta só para te ver dançar.

      E isso
      diz muito sobre minha caixa torácica."
      Matilde Campilho/ O Último Poema do Último Príncipe

      Caramba, JM!
      Adorei.

      Eliminar
  5. Teresa, hoje não mandaste o Manuel Hilário abrir a porta e vieste abri-la em pessoa! Que bela e bonita surpresa :)

    Mas espera até eu aparecer de face ao léu, sem book, aí é que vai ser a sensação, pois se, afinal, até o meu amigo de longa data, o meu querido Manuel Hilário, já me chamou de Miss Universo! :)

    Teresa, ainda és mais bonita do que eu imaginava - e olha que eu já te imaginava bonita!
    E sabes uma coisa? É estranho, mas a tua cara não me é estranha. Será que já sonhei contigo? :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso gostava eu! De poder ver os olhos, os rostos, as mãos de todos. Confesso que me aflige este jogo de nos escondermos atrás de uma identidade inventada, e sinto-me desde o princípio em desvantagem. Deveria ter dado à luz :) o Manuel Hilário logo ao princípio para poder dizer os disparates que nunca me passariam pela cabeça se ele não tivesse saído de um rabisco de uma bic num livro do António Ramos Rosa( culpa tua).
      E agora, Miss Universo, salta para o palco!
      E espero, sinceramente, nunca ter dado nenhuma injecção ao Mestre Biju. :)

      Eliminar
  6. Prazer, Teresa, de ruiva (natural, claro. cof, cof) para ruiva! :)

    Beijo. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vai variando, vai variando, a única vantagem de ter nascido 400 anos depois do ano da morte de Sá de Miranda é esta, um pouco mais ruiva, ou mais morena, ou mais loira, mas sempre sensível, inteligente, simpática, amiga...modesta :)
      Belo rosto o teu Maria, gosto de vê-lo.
      Beijo :)

      Eliminar
    2. E não é que, para além de sermos ambas ruivas, somos da mesma colheita? ;)

      Eliminar
    3. Brindemos Maria, estava aqui indecisa, mas já que assim é :) , o rosé parece-me o mais adequado.

      Eliminar
  7. tenho de discordar de si, querida e bela Teresa. nem todos/sempre (se) inventam identidades. a beleza dos blogs é essa mesmo, a de podermos ser um pouco mais (intensamente) aquilo que somos (e, na vida real, por vezes escondemos).

    um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bela flor, porque florbela vamos indo..., - diria o Manel Hilário -, é the book without face. Não vejo nenhuma beleza em ser um pouco mais/ menos numa máscara, a não ser no Carnaval. A morte do cisne é que é.
      Mas aceito :)

      Eliminar
  8. máscaras usamos sempre, Teresa. mostrar a cara, escrever o nome da certidão, não será por aí que nos passamos a conhecer. não nego que gosto de lhe ver o sorriso, mas o que por aqui vai escrevendo diz-me muito mais de si, do que uma simples fotografia. na verdade, e roubo-lhe as palavras de um outro post, «Ter um blogue é continuar um trilho de ser humano, de se ser humano, é finalmente um encontro de almas e não uma colisão de corpos.»

    um beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa frase assenta-me na perfeição, mas também tenho um rosto, ei-lo. A arte esconde a verdade, uma frase em que acredito, e sou isso mesmo, um monte de máscaras, tenho dois nomes, um profissional, que é o do meu pai, outro no blogue, que é o da minha mãe. Detestaria misturar as duas coisas, e jamais o faria. Assumo-me, ou melhor, concretizo-me, ao destapar a cara, ao tirar a "burca", que no fundo é o "outfit" mais lamentável e criticável deste mundo. E no entanto se é obrigatório para certas mulheres, que dariam tudo para se livrarem dela, outras envergam-no sem ser preciso. Pergunto-me, teria eu feito o que fiz ontem, se me sentisse feia? Expor-me-ia gratuitamente à rejeição, como já vi fazerem com outras pessoas? No mundo perverso em que vivemos talvez não. Mas tenho hoje 57 anos, já passaram por mim muitos risos e choros. Tudo sempre se reflectiu no meu rosto, está marcado, quero que saibam que assim é, mas não sei muito bem quem quero que saiba isso. Talvez porque acredito piamente que os olhos são o espelho da alma, e que sou um ser humano, por enquanto.

      Eliminar
  9. Um brinde às ruivas - duas belas Senhoras - tchim tchim!
    [Miss Smile, também pertence ao clube? :) e a flor!? olá flor! :) ]
    Teresa, muito gosto em conhecê-la. :)
    Uma loira [cof cof]
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, espertíssima Té.
      Brindemos às loiras cof cof, são sempre garantia de inteligência :)
      Um beijinho.

      Eliminar
  10. Respostas
    1. Ora essa,Té. Não tem de pedir desculpas. Fico bem entre mulheres tão bonitas. :)

      Eliminar