Atalhos de Campo


21.10.15

de crysanthèmes en crysanthèmes









































































                                   







































































6 comentários:

  1. Que beleza!
    Obrigado pela partilha,
    Outro Ente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. (...)
      " De crisanthèmes en crysanthèmes
      les autres fleurs font ce qu'elles peuvent"

      Os meus agradecimentos,
      A jardineira anónima. :)

      Eliminar
  2. Crisântemos

    Sombrios mensageiros das violetas,
    De longas e revoltas cabeleiras;
    Brancos, sois o casto olhar das virgens
    Pálidas que ao luar, sonham nas eiras.

    Vermelhos, gargalhadas triunfantes,
    Lábios quentes de sonhos e desejos,
    Carícias sensuais d´amor e gozo;
    Crisântemos de sangue, vós sois beijos!

    Os amarelos riem amarguras,
    Os roxos dizem prantos e torturas,
    Há-os também cor de fogo, sensuais...

    Eu amo os crisântemos misteriosos
    Por serem lindos, tristes e mimosos,
    Por ser a flor de que tu gostas mais!

    Flor(bela) Espanca

    Obrigada, Teresa, por estes momentos sublimes. Aqui estou a ouvir Schubert e a perder-me no aroma florido dos crisântemos. E não me apetece nada sair daqui...

    Um beijinho e uma noite feliz :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. " De crysanthèmes en crysanthèmes
      les hommes pleurent les femmes pleuvent"

      Enquanto Brel chorava
      Flor(bela) chovia...

      mas acho que ambos, choravam de alegria. :)
      Boa noite, Miss Smile, sorrir é preciso.

      Eliminar
  3. Que lindíssimas fotos, Teresa! E que música maravilhosa, adoro-a. Como é possível alguém ter criado isto antes dos 31 anos, idade com que Schubert morreu?!
    Obrigada. É bom vir aqui.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "De crysanthèmes en crysanthèmes
      A chaque fois plus solitaire
      De crysanthèmes en crysanthèmes
      A chaque fois surnuméraire"

      Sofrendo, sofrendo. Muito.
      É bom ter-te por cá, Susana.

      Eliminar