Atalhos de Campo


2.9.15

«desesperadamente procurando susana»

Hoje, a mãe morreu. Ela pensa muitas vezes nesta frase, ela pensa muitas vezes em como a chocou a condenação daquele homem à forca, por confessar um crime. Ela pensa muitas vezes no julgamento público, na raiva e no ódio contra aquele homem que pôs a mãe num lar, e que foi ao cinema no dia em que a mãe morreu, e ninguém o viu chorar, e foi isso que verdadeiramente o condenou, não o crime que cometeu. Isso acompanha-a desde a adolescência, esse medo, o medo dele, antes da morte, o absurdo da sua verdade. E pensa muitas vezes no soldadinho derretido e encontrado na lareira arrefecida, em forma de coração de chumbo. E na susana, a sua amiga desaparecida, da falta que lhe faz. E nesse fenómeno da transferência, que transforma um soldadinho de brincar sem uma perna, num estranho, e uma bailarina de papel, em lantejoula. Ela pensa naquele casaco que herdou da mulher da sua idade que morreu com cancro, da mulher desconhecida, e de como ele a abraça, quando o veste. Podia ser o casaco de susana.  

4 comentários:

  1. Desesperadamente à procura de um sentido: Talvez a vida seja absurda e não tenha um significado, mas é também na ausência de significado que consiste a nossa libertação, designadamente, a liberdade que cada um de nós tem de encontrar um sentido para a vida. Creio que podemos suportar tudo, menos a falta de sentido. Refiro-me ao sentido da vida como realidade ontológica, como algo que tem de ser encontrado. E, quem sabe, talvez seja aí que reside a nossa glória - a capacidade de encontrar um sentido para o sofrimento, a capacidade de nos transcendermos.

    “A grandeza do homem consiste na sua decisão de ser mais forte que a condição humana.”
    Albert Camus

    Um abraço azul, com mais uma volta, querida Teresa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um ou vários sentidos, querida Miss Smile, eu já encontrei vários, e talvez ainda não pare por aqui.
      O herói do Estrangeiro apenas gostava de viver, era o seu sentido, sem outro para além desse.
      Um grande beijinho, (azulíssimo).
      Até para a semana.

      Eliminar