Atalhos de Campo


23.8.15

Criar é delicado.

(...)
Criar é delicado.
Criar é uma grande brutalidade.
(...)

Herberto Helder/Poemacto

3 comentários:

  1. Por viver muitos anos dentro do mato

    moda ave

    O menino pegou um olhar de pássaro —

    Contraiu visão fontana.

    Por forma que ele enxergava as coisas

    por igual

    como os pássaros enxergam.

    As coisas todas inominadas.

    Água não era ainda a palavra água.

    Pedra não era ainda a palavra pedra.

    E tal.

    As palavras eram livres de gramáticas e

    podiam ficar em qualquer posição.

    Por forma que o menino podia inaugurar.

    Podia dar às pedras costumes de flor.

    Podia dar ao canto formato de sol.

    E, se quisesse caber em uma abelha, era

    só abrir a palavra abelha e entrar dentro

    dela.

    Como se fosse infância da língua.


    Manoel de Barros

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que mulheres bonitas aqui em "desconversa" :)

      "Os bens do poeta: um fazedor de inutensílios,
      um travador de amanhecer, uma teologia do traste,
      uma folha de assobiar, um alicate cremoso,
      uma escória de brilhantes,
      um parafuso de veludo
      e um lado primaveril"

      Manoel de Barros

      tenho tudo...

      Eliminar