Atalhos de Campo


7.8.15

cercas

há um pássaro pousado na cerca
há as vacas que pedem feno
há os pavões que divagam sobre a relva
há uma rola a beber água no lago
há uma outra que espreita, por entre os pinheiros
há um galo que se esmera na sua deixa
há uma galinha que se prepara para pôr o último ovo
há os choupos que dão voz à brisa
há a brisa a tremer nas sombras 
há um gato pardo por entre as ervas secas, esperando
há as folhas caídas das amoreiras, a anteciparem o Outono
há uma rosa que vive na Primavera
há uma lua minguante entre uma multidão de nuvens           
há um cágado a atravessar a estrada
há uma ninhada de coelhos sob a manjedoura
há um ninho perfeito acabado de cair
há uma andorinha que prepara o regresso
há uma enxada jazendo junto à cova
há um arame farpado a dividir a luz

6 comentários:

  1. Há um olhar sobre cada detalhe
    Há um poema a nascer desse olhar

    Boa tarde, Teresa. :)

    ResponderEliminar
  2. Cerca das 17:56h, levantou-se, ajeitou o vestido verde e suspirou fundo. Da janela, ainda aberta, chegou-lhe o sussurrar do vento, que toda a tarde dançou para ela, por entre as folhas da grande árvore.
    18h. Um beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há uma cerca entre as 17:56 e as 18h.

      Obrigada flor do vestido verde

      Eliminar
  3. Eu vi a cerca, ali em cima. Agora leio-a, aqui em baixo.
    Vou voltar para lá.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E eu fico aqui, a adorar estes comentários.

      Boa semana, luisa.

      Eliminar