Atalhos de Campo


18.8.15

a epífora da velha Alice

não mexas nisso, não mexas mais nisso. a Alice contava sempre a mesma história quando aparecia inesperadamente para almoçar, com os seus quase cem anos, e, com os olhos a lacrimejar pela epífora, ia abanando a cabeça de uma maneira estranha, na qual já não conseguia ter firmeza pela muita idade, nem nas mãos pequeninas de dedos oscilando como ramos secos na ponta da árvore muito antiga que era, tão tortos, nodosos e enrugados que tremiam para segurar o gesto, a menina não mexe, dizia eu, que ela não vira crescer, prodígio que ninguém vira na totalidade, doze centímetros num ano, sabias, e a Alice, que me conhecera com dois anos, sorria a chorar quando me dizia que eu atirava tudo ao chão, enquanto não parava de balbuciar a menina não mexe 

4 comentários:

  1. A menina, marota, a tentar iludir a Alice. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sempre foi assim, luisa, agora iludo-me a mim; prometo , prometo... :)

      Eliminar
  2. Teresa, Venho aqui através da Miss Smile, adorei e quero seguir o blogue mas confesso que não sei como fazê-lo...pode ajudar-me?
    obg

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá papoila, já a conheço de vista das Notas de Chá. Uma papoila é sempre bem-vinda nos atalhos,(mesmo em Outubro) :)
      No entanto a grelha dos seguidores ainda não está disponível, só a partir de 2016, mas pode seguir sempre um atalho pela Miss Smile.
      Um beijinho, e obrigada.

      Eliminar