Atalhos de Campo


2.7.15

Grasshopper


Recebi hoje uma carta tua. Entretanto é como se não tivesses morrido. É como se não tivessem morrido todas as pessoas de que me falas. Ouço ainda a tua gargalhada cristalina, vejo ainda o teu cabelo sedoso, sinto ainda a tua pele molhada nas fotografias, a magreza da tua figura, a beleza inconsciente da tua beleza. Os calções impecáveis depois de um dia a brincar, e depois diziam que já olhavas para a sombra, um grão de arroz era trocado por água, tão elegante. Dizias Mamã, fiquei surpreendida, a partir de certa altura foi mãe, mas Mamã, tão doce, quero agradecer muito à Mamã o interesse pelos meus problemas; agora vou passar à descrição da minha vida, que tem sido só descansar; amanhã vou a um almoço de confraternização no liceu, embora os almoços de confraternização sejam "de trazer por casa", porque os alunos ficam quase separados dos professores; hoje de manhã dei uma limpeza geral ao quarto, o quer dizer que deitei muita coisa fora; estes correios andam cada vez pior; fui a Coimbra comprar umas calças vulgares, azuis, da Levi's, e um disco; as calças foram dadas pelo Avô, primeiro era para me dar só uma perna, e depois resolveu dar a outra, e a Maria Teresa ficou toda contente; já que estou a falar de roupa, o vestido de florinhas ficou muito giro; estive a ler(várias vezes) e simultaneamente a ouvir música...termino com muitos beijos e saudades. Gostei imediatamente de ti, do que já não me lembrava de ti, e fiquei a pensar, passou tanto tempo com o que eu fiz do tempo, se agora lesses uma carta minha, gostarias de mim? Olho para a data, 6/6/74, quando ainda te treinavas para ouvir o coração, quando pelos teus olhos passava um gafanhoto, num voo, de asas muito abertas.

à minha mãe, que me enviou uma carta minha.     

2 comentários:

  1. Bela reminiscência. E já em pleno PREC.

    :)

    ResponderEliminar
  2. ...embora o Verão Quente tenha sido só em 75. Tinha passado muito pouco tempo do 25 de Abril, a revolução foi-se fazendo devagar na minha cabeça, depois até chegar ao MRPP foi um pulinho; mas foi precisamente esta miúda que eu encontrei na carta, de uma enorme serenidade, que me enterneceu. :)

    ResponderEliminar