Atalhos de Campo


7.7.15

fomite

há muitos anos aprendi que não se devia menosprezar o conceito de fomite, que implica que tudo o que não é animado pode veicular vírus, bactérias, parasitas, fungos, microrganismos patogénicos portanto, susceptíveis de transmitir doenças; um copo, um guardanapo, roupa, talheres, etc, no caso dos animais, tigelas, camas, brinquedos...e cedo comecei a extrapolar esse conceito para a alma: um livro, uma fotografia, uma carta, um bilhete para um concerto, uma conta de restaurante, uma caixa de fósforos, uma passagem de avião, uma flor seca, uma moeda, uma chave, uma concha, a coleira de um cão que já morreu  

2 comentários:

  1. Querida Teresa Borges do Canto,
    "fomite da alma"... Associar o nome à noção. Não esquecerei.
    Boa noite,
    Outro Ente.

    ResponderEliminar