Atalhos de Campo


16.7.15

flor de cardo
























O cardo floresce na claridade do dia. Na doçura do dia se abre o figo. 
Eis o país do exterior onde cada coisa é:

                                       trazida à luz
                                       trazida à liberdade da luz
                                       trazida ao espanto da luz

Sophia de Mello Breyner Andresen/Geografia

4 comentários:

  1. Adoro vir aqui.
    (e desculpe, se me repito)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ...e eu não sei se já lhe disse, mas adoro que venha.

      Um beijo G. e férias G.RANDES!

      Eliminar
  2. Flores amarelas com espinhos?
    Ou espinhos com flores amarelas?
    O cardo, por si só, já é um poema :)

    Um beijinho, querida Teresa, e muito obrigada por mais um momento de beleza e paz :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Miss Smile, às vezes são flores amarelas, outras espinhos, mas sempre poemas, concordo consigo.
      E gostei tanto deste comentário que o li à minha mãe.

      Um grande beijinho.

      Eliminar