Atalhos de Campo


15.7.15

Acarro






4 comentários:

  1. "(...) O sol é pesado e a luz leve. Caminho no passeio rente ao muro mas não caibo na sombra. A sombra é uma fita estreita. Mergulho a mão na sombra como se a mergulhasse na água."
    Sophia de Mello Breyner Andresen

    Sábios os animais da quinta, à espera que a hora do calor passe :)

    Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tão bem escolhido, Miss Smile. Um poema luminoso para ser lido à sombra.

      E é como diz, os animais são sábios; hoje, depois de os fotografar, também fiz o meu "acarro", uma palavra altamente contagiosa. :)
      Que belo poema de Sophia. Ficou por aqui uma luz diferente.

      Um beijinho

      Eliminar
  2. E o sol hoje aqueceu de tal modo que só a sombra para nos aliviar. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida, Luisa, mas aqui a noite está fria, e um casaco de malha já sabe bem.

      Boa noite

      Eliminar