Atalhos de Campo


19.6.15

Ao Expresso, com amor

O Expresso é o meu jornal há muitos anos. Acontece que aqui me chega atrasado, e a notícia que acabei de ler na página 101 da E de Sábado passado, com o título Aqui há gato..., me parece de outro jornal. Vem ela ao lado da coluna assinada pelo psiquiatra José Gameiro, suponho que por relacionar os gatos com doenças graves dos donos, tais como bipolaridade e esquizofrenia. Ocorreu-me de imediato a ironia de que isso se deveria a uma fase de divisão do núcleo do parasita em questão, a esquizogonia, pela qual se origina o esquizonte. A forma leviana, para não dizer alarmista, como o assunto é tratado, a falta de bases científicas na condução do tema, a especulação e a ausência de assinatura no fim, deixam-me perplexa. Está em causa o velho Toxoplasma gondii, um parasita intestinal que é eliminado pelas fezes dos gatos, há muito amplamente estudado pelos efeitos teratogénicos, cegueira e morte fetal nos fetos humanos, ou por transtornos neurológicos graves e irreversíveis. Quando engravidei há trinta e três anos já era usual fazer-se o teste da toxoplasmose, pelas mesmas razões que é hoje. Acontece que eu tinha um título muito elevado, o que podia ser confundido como tendo a doença(a grande suspeita era ter na altura dois gatos em casa). Três semanas depois o título estabilizara, e a conclusão tirada pelos médicos foi que eu era altamente imune à toxoplasmose,( exactamente por ter tido sempre contacto com gatos), e o meu filho nasceu saudável. No entanto, em minha opinião, o maior perigo não vem de manusear as caixas de litter com fezes de gatos, desde que haja o mínimo de bom senso e higiene ao fazê-lo, mas o de comer carne contaminada de porco ou de herbívoros, e saladas mal lavadas. Desconfio que nos Estados Unidos da América do Norte, os referidos "60 milhões de portadores sãos de Toxoplasma goondi", se devem com certeza mais ao consumo de carne mal passada e de saladas, do que à contaminação pelo gato que têm em casa, se tiverem. Durante a minha vida profissional, foram muito poucos os casos diagnosticados como fatais em gatos, e nos exames sorológicos que lhes foram feitos a pedido de donas grávidas, o resultado foi sempre negativo. Parece-me também importante esclarecer o seguinte: a contaminação dos gatos faz-se pela ingestão de pássaros e roedores parasitados, portanto uma forma de limitar a doença nos gatos e a sua eventual transmissão aos humanos, é impedir que cacem, fornecendo-lhes rações, o que é o mais usual nas cidades. Para concluir, se há de facto ligação entre psicoses, suicídios e esquizofrenia nos humanos, relacionada com quistos de Toxoplama gondii no cérebro, o assunto deve ser tratado de forma mais científica e séria, e não me parece que concluir um artigo com o seguinte e banal parágrafo: No entanto, não é caso para alarme. Os donos devem apenas reforçar os cuidados de higiene, mudando frequentemente a areia e lavando sempre as mãos depois de a manusear,(um conselho do século passado), venha a contribuir para melhorar alguma coisa.  

3 comentários:

  1. Teresa, obrigada pelo seu esclarecimento. Infelizmente, esta é uma técnica muito usada para prender o leitor à notícia, espalhando o medo e o alarmismo.

    Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade verdade, Miss Smile, que falta de sensatez para encher um espaço...

      Um beijinho

      Eliminar