Atalhos de Campo


9.5.15

notícias da quinta (4)

A meio da tarde chegam as andorinhas-das-chaminés. É uma dádiva assistir a um espectáculo de acrobacia aérea feito por andorinhas: é um privilégio conseguir ficar colocado no trajecto dos loopings, para as ver baixar até rasarem a água, e depois subir em flecha céu fora até voltarem ao beirado (onde se empoleiram a ganhar fôlego, em filas de oito e dez); depois ficar para as ver repetir tudo de novo, agora em voos combinados ao milímetro, com encontros num ponto marcado no ar; reparar como desenham, a compasso, círculos excêntricos que parecem já vir combinados nos genes - de tão perfeitos que são - enquanto ensinam os filhos a tirar o brevet (em poucas horas) e nos ultrapassam a velocidade estonteante, para nos deixarem pasmados com tanta perícia.
Hoje um desses alunos inexperientes resolveu atalhar caminho por baixo do alpendre, e bateu no vidro. Caiu desorientado e fez várias tentativas de voar sem sucesso, acabando por ser salvo in extremis, da boca dos cães. Deixei-o a recuperar durante mais de uma hora, numas palhas que coloquei sobre a sebe de ligustro. A certa altura reparei que todas as andorinhas tinham desaparecido, talvez por terem recolhido aos ninhos, e temi que anoitecesse antes de aquela conseguir voar, se conseguisse. Arrisquei colocá-la sobre o telhado, através da janela mais alta, porque sei que só assim, de um ponto alto, conseguem voar. Ficou uns segundos parada sobre uma telha quente, mas depois ensaiou um voo e desapareceu no céu. Passados minutos regressaram algumas companheiras, que antes do anoitecer descreveram um círculo em volta da casa.

2 comentários:

  1. "A perene mensageira do Verão, a andorinha, que aprecia os campanários, certifica, pelos ninhos que aqui vemos construídos, que o hálito do Céu é perfumado: não há canto, saliência nem cornija onde não tenha alcandorado seu prolífico abrigo. E já tenho constatado que os locais por estas aves preferidos se destacam p'la pureza do seu ar".

    William Shakespeare

    Beijinhos e muitas andorinhas:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bonito trecho, Madalena. A presença das andorinhas descansa-mos então, quanto à pureza do ar. E isto é um certificado com quase quatrocentos anos, tem peso. Aqui há muitas. :)

      Beijinhos e bons voos. Obrigada pela tua visita ao ano passado.

      Eliminar