Atalhos de Campo


7.4.15

o ninho




















































Entregou-me o ninho com um sorriso, e disse:- Este foi acabado de fazer, ainda não está sujo, caiu da árvore, não ficou bem preso e voou com o vento. Deve ser de pintassilgo. Peguei-lhe, maravilhada com a perfeição: as várias camadas de gravetos e de folhas, os filamentos enrolados, ao centro, o edredon de penas, por fim. Trabalho perdido, lamentei com o ninho entre as mãos,  e pensei se teriam ainda tempo para fazer outro. O senhor Bonifácio, continuou:- Há quem os vá buscar às árvores, com os passarinhos acabados de nascer. Põem o ninho numa gaiola, perto da árvore onde estava, com a porta aberta. Os pais entram e saem e continuam a alimentá-los até crescerem. Antes que comecem a voar levam a gaiola, os pintassilgos são muito cobiçados, afirmou. Ai sim, disse eu, e o que lhes dão para comer?, os pintassilgos gostam de cardos...O Sr Bonifácio respondeu que lhes dão alpista, e depois acrescentou que os pais voltam mais uns dias ao sítio onde estava pendurada a gaiola, até se desimaginarem. - Tem que se fazer assim, acrescentou, porque senão eles sentem os filhos presos e matam-nos, dando-lhes a comer uma semente venenosa.     

Sem comentários:

Enviar um comentário