Atalhos de Campo


3.4.15

Pessach



























gosto da ideia de Páscoa como festa de libertação. Quantas vezes comi pão ázimo por me ter esquecido do fermento, ou pão do coração, e me pus a caminho para lugares onde nunca cheguei; quantas vezes deixei a minha passagem assinalada com lírios sobre portas que não eram as minhas, e onde nunca mais voltei, quantas me ficou na boca o sabor amargo das ervas


gosto dessa ideia de passagem, uma ideia já muito antiga e da sua palavra, pessach, e também de anastasis, erguer, levantar

Sem comentários:

Enviar um comentário