Atalhos de Campo


7.12.14

Passagem para a noite (3)

Pavoas Mortas
Rembrandt Harmensz.van Rijn
1639
(...)
Uma história de crianças com folhas
dispersas é sempre
uma história de morte. Embora a doçura
levede sua alma cega, crianças, eis como digo:
são uma musa devoradora.
Estão ligadas a toda a grande idade,
à terrífica fantasia do tempo.
Porque falam no esgotamento e, enquanto dormem,
sonham com seu ombro fendendo o sangue,
entrando no poder de Deus.

Tenho uma criança profunda em todos os lugares.
(...)

Herberto Helder/ Lugar
Poesia Completa

2 comentários:

  1. Pouca é a distância entre a vida e a morte.
    O caminho — ponte entre o mundo de baixo
    e o azul celeste —
    é mais curto que o caminho daqui até lá baixo.
    O mesmo que entre a vida e a morte.

    Herberto Hélder, in Poemas Ameríndios

    ResponderEliminar
  2. Tão perto, que para tocar no azul do céu é só esticar um braço; o poeta e o pintor sabem disso; a criança aprende quando ouve - não mexe - e nós deste lado também sabemos, porque também estamos perto, do lado do sangue.

    Boa noite

    ResponderEliminar