Atalhos de Campo


12.12.14

estufim entre a poesia e a prosa

A Lactuca sativa L., vulgo alface(variedade francesa), espreguiça-se mal o sol nasce, esticando os braços languidamente, para deixar cair, num arrepio, a terra que lhe suja o vestido. E só depois abre os olhos, que aveludam as manhãs de verde pálido, sonhando com massagens em azeites sublimes, ácidos balsâmicos, sal em flor, e camas aromáticas de manjericão. É toda ela nouvelle cuisine, decoração   minimal, espaço no prato, subtileza, e escolha cuidadosa dos acessórios, da luz indirecta, do lounge music. Cultiva amizades exóticas, mas é fiel aos companheiros da geração de 70, a salsa, o cebolinho e o coentro. Adora protagonismo, revistas de moda, guia Michelin, e venera Christian Millau e Henri Gault. Nunca passa sem capeline no Verão, e banho turco, no Inverno. Mas o seu sabor é ainda mais delicioso a acompanhar arroz de bacalhau, frango assado no forno, bife à portuguesa, empadão de carne, alheiras de Mirandela e carne de porco à alentejana, à luz do sol ou na penumbra, sobre uma toalha branca, com um cesto de pão fresco, um jarro de vinho e um prato de azeitonas, mas sobretudo um bom fado.      

Sem comentários:

Enviar um comentário