Atalhos de Campo


6.12.14

desassossego

Dizem os ocultistas, ou alguns deles, que há momentos supremos da alma em que ela recorda, com emoção ou com parte da memória, um momento, ou um aspecto, ou uma sombra, de uma encarnação anterior. E então, pois que regressa a um tempo que está mais próximo que o seu presente da origem e do começo das coisas, sente, em certo modo, uma infância e uma libertação.
Fernando Pessoa/ O Livro do Desassossego


Os tambores rolaram à beira da estrada e os clarins pendiam nulos nas mãos lassas, que os deixariam se ainda tivessem força para deixar qualquer coisa.
Mas, de novo, na consequência do prestígio, soavam altos os alaridos findos, e os cães tergiversavam nas áleas vistas. Tudo era absurdo, como um luto, e as princesas dos sonhos dos outros passeavam sem claustros indefinidamente.
Fernando Pessoa/ O Livro do Desassossego

Sem comentários:

Enviar um comentário